São Paulo: (11) 98758-7663 - (11) 3504-4304 | Vitória: (27) 99707-3433 - (27) 99886-7489

Diagnóstico e Tratamento da Diplopia (Visão Dupla)

Dr Diego de Castro
11/05/2022
Compartilhe

Se você está experimentando visão dupla, é importante visitar seu médico o mais rápido possível, para realizar um exame abrangente, já que, segundo o NHS, a diplopia pode ocorrer como resultado de um problema com:

  • Os músculos dos olhos
  • Os nervos que controlam o movimento dos olhos
  • A junção neuromuscular — o espaço onde os nervos se conectam aos músculos que controlam.

Em muitos casos, é o resultado de uma condição tratável. Mas qualquer mudança repentina em sua visão requer atenção médica. Algumas condições precisam de cuidados médicos urgentes para evitar perda permanente de visão ou complicações fatais.

Neste artigo, Dr Diego de Castro, Neurologista e Neurofisiologista pela USP, explica sobre o Diagnóstico e o Tratamento da Diplopia ou Visão Dupla.

Diagnóstico da Diplopia

Conforme informações da Cleveland Clinic, para diagnosticar a diplopia, inicialmente, revisamos seu histórico médico, incluindo seus sintomas, e faremos perguntas para determinar quais testes diagnósticos específicos são necessários para identificar a causa básica de visão dupla. Esteja pronto para dizer ao seu médico se seus sintomas são:

  • Em um olho ou ambos os olhos
  • Constantes ou intermitentes (ocorrendo ocasionalmente)
  • Experimentados sempre da mesma forma ou mudam com a posição da cabeça ou direção do olhar
  • Mais intensos em uma visão próxima ou distante
  • Horizontal (você vê as imagens lado a lado), vertical (uma imagem abaixo da outra) ou oblíqua (imagens separadas na diagonal).

Seu médico também pergunta se você tem alguma condição médica, como diabetes ou vertigem, que podem estar associadas à visão dupla. Também é importante relatar se você sofreu algum traumatismo craniano recente ou uma concussão.

Exame Neurológico

Em casos de diplopia binocular, é mais provável que a causa seja neurológica. Para identificar se um problema com os nervos cranianos (que estimulam o movimento dos olhos, força dos músculos e sensação facial) está causando visão dupla, seu médico pode perguntar se você sente:

  • Dor ou dormência ao redor das órbitas oculares
  • Fraqueza facial
  • Problemas para engolir ou falar.

Durante o exame neurológico, o médico também procura sinais de Ptose Palpebral (queda das pálpebras), que pode ocorrer como resultado de:

  • Distúrbios nervosos ou musculares, como Miastenia gravis ou distrofia muscular
  • Lesão em um dos nervos cranianos.

Exames Complementares

Com base nos achados dos exames ocular e neurológico, podemos solicitar outros exames, para investigar melhor possíveis causas.

  • Ressonância Magnética - Recomendamos uma ressonância magnética quando precisamos de uma visão melhor do cérebro, dos nervos oculares e medula espinhal. Os resultados podem ajudar a descartar certas causas de visão dupla, como um tumor, inflamação ao longo de um nervo ou um aneurisma.
  • Exame de Sangue - Solicitamos exames de sangue específicos quando suspeitamos que a visão dupla é devido a uma condição médica subjacente, como a doença de Graves (doença autoimune que causa hipertireoidismo e pode causar inchaço e espessamento dos músculos responsáveis pelo movimento dos olhos) ou a doença de Lyme (infecção bacteriana transmitida por carrapatos que causa sintomas neurológicos, incluindo visão dupla).
Tratamento da Diplopia

Tratamento da Diplopia

Uma vez que confirmamos o diagnóstico, desenvolvemos um plano de tratamento para abordar a causa básica da visão dupla. Muitas vezes, os cuidados médicos envolvem várias especialidades, como neurologia, oftalmologia ou oncologia.

A Mayo Clinic explica que as opções de tratamento para a visão dupla são baseadas no tipo e na causa.

Tratamento das Causas Relacionadas aos Olhos

  • A diplopia decorrente de erros refrativos (miopia, hipermetropia, astigmatismo) pode ser corrigida com óculos ou lentes de contato
  • Olhos secos podem ser tratados com lágrimas artificiais, gotas anti-inflamatórias, compressas quentes e uma variedade de outros tratamentos
  • A insuficiência de convergência, ou incapacidade de alinhar os olhos ao se concentrar em um objeto próximo, pode melhorar com exercícios oculares ou com uso de prismas
  • A injeção de toxina botulínica (Botox) no músculo ocular mais forte pode ajudar a relaxá-lo, permitindo que o músculo ocular mais fraco se recupere.

Muitas irregularidades na córnea são tratáveis com medicação, laser ou cirurgia. As cataratas são tratadas com cirurgia, e a opacificação posterior da cápsula (após a cirurgia de catarata) é tratada com laser.

Tratamento da Diplopia Causada por Condições de Saúde

  • Condições de saúde que causam visão dupla, como esclerose múltipla, Miastenia gravis ou hipertireoidismo, podem ser gerenciadas com medicamentos que melhoram ou eliminam sintomas.
  • A visão dupla causada pela má oferta sanguínea aos nervos, devido à diabetes, muitas vezes se resolverá com o tempo, à medida que os níveis de açúcar no sangue são controlados.
  • Se os movimentos do músculo ocular forem restringidos devido a cicatrizes (como a doença crônica de Graves) ou compressão (como após fratura óssea orbital traumática), a cirurgia dos músculos ou tecido circundante pode corrigir o problema.

Quando a diplopia é causada por condições que colocam a visão em risco ou oferecem risco de vida, essas condições requerem tratamento urgente. Este é particularmente o caso de aneurismas, traumatismo craniano, AVC e outras condições neurológicas. Qualquer aparecimento de diplopia acompanhada de sintomas neurológicos, como dor de cabeça, náusea, tontura, perda de equilíbrio, etc., deve ser avaliado imediatamente.

Prevenção

Segundo a American Academy of Ophthalmology, não há como prevenir algumas causas de diplopia, como a decorrente de cataratas. Mas, é possível evitar lesões que podem causar visão dupla, com alguns cuidados:

  • Usar o cinto de segurança quando estiver em um carro
  • Usar óculos de proteção ou capacetes quando praticar esportes ou fazer atividades que possam machucar os olhos
  • Manter os níveis de açúcar no sangue sob controle para diminuir a chance de danos nos nervos
  • Realizar check-ups oftalmológicos frequentes, para corrigir erros refrativos sempre que necessário
  • Pessoas com condições que oferecem maior risco de desenvolver diplopia (como Miastenia gravis, Esclerose Múltipla) precisam ficar atentas aos sintomas e realizar o acompanhamento médico frequente, para evitar qualquer complicação.

Dr Diego de Castro Neurologista & Neurofisiologista

Dr Diego de Castro é Neurologista pela USP especialista em distúrbios do movimento.

Conhece alguém com visão dupla? Indique esse artigo para mostrar a importância da avaliação médica para o diagnóstico definitivo.

Gostou desse artigo? Siga-nos nas redes sociais! Leia nossos outros artigos:

Nossos endereços para atendimento presencial:

Av. Américo Buaiz, 501 – Sala 109
Ed. Victória Office Tower Leste, Enseada do Suá, Vitória – ES, CEP: 29050-911

Telefone: (27) 99707-3433

R. Itapeva, 518 - sala 901 Bela Vista - São Paulo - SP, CEP: 01332-904

Telefones: (11) 3504-4304 e (11) 98758-7663

Posts Relacionados:


Compartilhe
Posts mais Populares
Acompanhe nosso Podcast!
Escute nossos conteúdos em áudio, na sua plataforma preferida:
Assine nossa Newsletter!

Assine nossa newsletter e receba em seu e-mail todos os nossos novos artigos.

Dr Diego de Castro dos Santos
Neurologia - Dr Diego de Castro
Dr Diego de Castro dos Santos é Neurologista pela USP e responsável pelo Serviço de Especialidades Neurológicas – Eletroneuromiografia. Atua como neurologista em Vitória Espírito Santo ES e em São Paulo no tratamento de Dor de Cabeça, Depressão, Doença de Parkinson, Miastenia gravis e outras doenças. Também se dedica a reabilitação de pacientes com AVC, distonias e crianças com paralisia cerebral, por meio de aplicação de toxina botulínica (Botox) e neuromodulação.

One comment on “Diagnóstico e Tratamento da Diplopia (Visão Dupla)”

  1. No caso de diplopia dupla em que a tomografia acusou isquemia microvascular leve para o olho direito, qual o tratamento? Sou paciente.

Dúvidas? Sugestões?

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

DR DIEGO DE CASTRO

Dr. Diego de Castro dos Santos
Neurofisiologia clínica - RQE 74154
Neurologia - RQE 74153
Diretor Clínico Autor e Responsável Técnico pelo Site – Mantenedor.

Missão do Site: Prover Soluções cada vez mais completas de forma facilitada para a gestão da saúde e o bem-estar das pessoas, com excelência, humanidade e sustentabilidade. Destinado ao público em geral.
NEUROLOGISTA EM SÃO PAULO – SP
CRM-SP 160074

R. Itapeva, 518 - sala 901
Bela Vista - São Paulo - SP 
CEP: 01332-904

Telefones:
(11) 3504-4304
(11) 98758-7663

NEUROLOGISTA VITÓRIA – ES
CRM-ES 11.111

Av. Américo Buaiz, 501 – Sala 109
Ed. Victória Office Tower Leste, Enseada do Suá, Vitória – ES, CEP: 29050-911

Telefones:
(27) 99707-3433
(27) 99886-7489

Utilizamos ferramentas e serviços de terceiros que utilizam cookies. Ao continuar navegando em nosso site, você concorda com o uso de cookies. Leia nossa política de privacidade/cookies para saber mais informações.
magnifier
× Como posso ajudar?
linkedin facebook pinterest youtube rss twitter instagram facebook-blank rss-blank linkedin-blank pinterest youtube twitter instagram