São Paulo: (11) 3504-4304 | Vitória: (27) 99707-3433 - (27) 99886-7489

Fotofobia - Sintomas e Causas

Dr Diego de Castro
31/08/2022
Compartilhe

Segundo a American Headache Society, Fotofobia (também conhecida como sensibilidade à luz) é um sintoma comum, mas debilitante, observado em muitos distúrbios oftálmicos e neurológicos. Se você tem fotofobia, pode ter dificuldade de visão ou sentir dor nos olhos e desconforto, quando exposto a alta luminosidade, ou mesmo níveis normais, dependendo da gravidade da condição.

Neste artigo, Dr Diego de Castro, Neurologista e Neurofisiologista pela USP, explica sobre os sintomas e causas da Fotofobia.

Em que Consiste a Fotofobia

O termo fotofobia, na realidade, não é muito preciso. Sua origem vem de duas palavras gregas:

foto = luz
fobia = medo ou pavor

Seu significado, ao pé da letra, seria "medo da luz". Assim, o termo "sensibilidade à luz" também é utilizado para definir a condição.

De acordo com a American Migraine Foundation, quanto mais brilhante a luz, mais desconforto uma pessoa sente. O comprimento de onda da luz azul também produz mais sensibilidade do que outros comprimentos de onda. Outros gatilhos para maior sensibilidade incluem luz cintilante e luz em padrões listrados.

Ainda não conseguimos identificar a área exata do cérebro que causa sensibilidade à luz, porém estudos recentes estão nos ajudando a elucidar esse sintoma.

A luz é transportada nas vias visuais para o cérebro por meio da retina. Na retina, há células que detectam luz e formam a visão (como ler letras ou ver imagens), projetando-a para o caminho visual.

Há um segundo sistema, o sistema de melanopsina, que não participa da visão, mas especificamente sente a luz. Há menos dessas células na retina do olho, mas uma vez que essas células são ligadas, não se desligam. Agora também sabemos que essas células se conectam com o sistema trigêmeo em centros cerebrais profundos — e, portanto, podem causar dor. O sistema de melanopsina também explica por que as pessoas que são cegas (sem visão formada) ainda podem experimentar fotofobia.

A resposta anormal à luz varia entre os indivíduos. Casos leves causam dificuldade para fixar o olhar em uma sala iluminada ou em espaços abertos. Em casos mais graves, pode causar dor considerável, mesmo quando seus olhos são expostos a quase qualquer intensidade de luz.

O que Pode Causar Fotofobia

De acordo com a North American Neuro-Ophthalmology Society, a fotofobia é relatada na maioria das formas de enxaqueca e muitas doenças neuroofálmicas. Está listada como um sintoma importante nas seguintes condições:

Condições que Afetam o Sistema Nervoso

  • Enxaqueca - A enxaqueca é o transtorno neurológico mais comum causador da fotofobia. Até 80% dos pacientes com enxaqueca experimentam fotofobia durante uma crise.
  • Dores de Cabeça - Enxaqueca não é o único tipo de dor de cabeça associado à fotofobia. Indivíduos com dor de cabeça tensional também experimentam sensibilidade à luz. Fotofobia unilateral pode acontecer na dor de cabeça em salvas, hemicrania contínua e outras cefaleias relacionadas a disfunção do nervo trigêmeo.
  • Encefalite - Encefalite é uma inflamação aguda do cérebro. A maioria dos casos é causada por uma infecção viral ou pelo sistema imunológico atacando erroneamente o tecido cerebral.
  • Meningite - Meningite é uma infecção bacteriana ou viral que causa inflamação das membranas ao redor do cérebro e da medula espinhal. A forma bacteriana pode levar a complicações graves, como danos cerebrais, perda auditiva, convulsões e até mesmo morte.
  • Hemorragia subaracnoidea - Uma hemorragia subaracnoidea ocorre quando há um sangramento entre o cérebro e as camadas circundantes de tecido. Pode ser fatal ou levar a danos cerebrais.
  • Blefarospasmo - Uma distonia focal associada com piscar involuntário e contração das pálpebras. A causa é desconhecida, mas acredita-se que seja devido a um desequilíbrio de excitação/inibição nas vias neurais que controlam essa musculatura. Pacientes com blefarospasmo podem ser tão sensíveis à luz quanto pacientes com enxaqueca. Além disso, as luzes brilhantes podem causar um agravamento do blefarospasmo.

Condições que Afetam os Olhos

Segundo a American Academy of Ophthalmology, as condições relacionadas aos olhos que podem causar fotofobia, são:

  • Abrasão corneal - Uma lesão na córnea, a camada mais externa do olho. Este tipo de lesão é comum e pode acontecer se você tiver areia, sujeira, partículas metálicas ou outras substâncias em seus olhos. Isso pode levar a uma condição grave chamada úlcera córnea se ocorrer uma infecção.
  • Esclerite - Ocorre quando a parte branca do olho fica inflamada. Cerca de metade de todos os casos são causados por doenças que afetam o sistema imunológico, como o lúpus. Outros sintomas incluem dor nos olhos, lacrimejamento e visão turva.
  • Conjuntivite - Ocorre quando a camada de tecido que cobre a parte branca do olho está inflamada ou mesmo infectada. É causada principalmente por vírus, mas também pode ser causada por bactérias e alergias. Outros sintomas incluem coceira, vermelhidão e dor nos olhos.
  • Síndrome do olho seco - Olho seco ocorre quando suas glândulas lacrimais não conseguem produzir lágrimas suficientes para manter uma boa lubrificação ocular. Isso faz com que seus olhos fiquem excessivamente secos. As causas incluem idade, fatores ambientais, certas condições médicas e uso de alguns medicamentos.

Outras Condições

Fadiga, neuralgia do trigêmeo, neuropatia facial, traumatismo craniano e fibromialgia também podem estar associados ao aumento da sensibilidade à dor e ao desconforto, que podem se manifestar como fotofobia.

Fadiga ocular também pode causar fotofobia
Fadiga ocular também pode causar fotofobia

Problemas dentários ou doença do nervo óptico (como neurite óptica devido à esclerose múltipla) podem irritar seus olhos, desencadeando a fotofobia. Às vezes, a fotofobia pode ser o primeiro sinal de uma dessas doenças.

Muitos medicamentos induzem temporariamente a fotofobia. Tetraciclina, um antibiótico, é comumente associada à fotofobia. Outros medicamentos que podem desencadear esse efeito incluem:

  • Metotrexato
  • Ibuprofeno
  • Naproxeno
  • Haloperidol
  • Cloroquina
  • Metilfenidato.

Ansiedade, depressão, psicose, uso de drogas e abstinência de drogas podem induzir a fotofobia. Crianças e adultos que são autistas podem ser hipersensíveis aos estímulos circundantes e muitas vezes são perturbados ou perturbados por luzes, ruídos ou sensações inesperadas.

Sintomas de Fotofobia

De acordo com a Royal National Institute of Blind People, a fotofobia pode causar ou piorar a dor ou o desconforto físico no olho, como reação a uma luz de intensidade normal ou excessivamente brilhante.

Os principais sintomas que indicam que você está sofrendo de fotofobia incluem:

  • Sensibilidade à luz
  • Aversão à luz
  • Uma sensação de que a iluminação regular parece excessivamente brilhante
  • Visualizar pontos coloridos brilhantes, mesmo no escuro ou com os olhos fechados
  • Dificuldade para ler ou visualizar fotos
  • Dor ou desconforto ao olhar para a luz
  • Dor na testa
  • Lacrimejamento
  • Sensação de olhos excessivamente secos
  • Necessidade urgente de fechar os olhos.

A fotofobia pode afetar pessoas de todas as idades. Muitas vezes é uma experiência recorrente e benigna (não medicamente grave), mas pode desenvolver-se devido a uma condição médica. Você deve procurar atendimento médico se estiver tendo fotofobia pela primeira vez, porque você pode indicar uma condição médica que precisa de tratamento.

Normalmente, a fotofobia afeta os dois olhos igualmente. Às vezes, no entanto, problemas oculares podem causar fotofobia em apenas um olho.

Muitas vezes, a fotofobia é acompanhada por outros sintomas, incluindo fadiga, náusea e dor na cabeça.

Uma pessoa com fotofobia pode ter uma preferência por:

  • Dias nublados, ao invés de dias ensolarados
  • Ficar dentro de casa com a luz apagada, ao invés de cômodos iluminados
  • Sair de casa depois do anoitecer, em vez de durante o dia.

A fotofobia é um sintoma desconfortável que, na maioria das vezes, pode ser gerenciado com ajustes de estilo de vida. No entanto, também pode ser sinal de um sério problema médico ou ocular.

Procurar atendimento médico e conversar sobre seus sintomas pode ajudar a encontrar a causa de sua fotofobia e a determinar uma forma de tratamento eficaz, caso seja necessário.

Em nosso próximo artigo, vamos abordar o diagnóstico e o tratamento da fotofobia. Continue acompanhando nosso blog para saber mais.

Dr Diego de Castro Neurologista & Neurofisiologista

Dr Diego de Castro é Neurologista pela USP especialista em distúrbios do movimento.

Conhece alguém com fotofobia? Indique esse artigo para mostrar a importância da avaliação médica para o diagnóstico definitivo.

Gostou desse artigo? Siga-nos nas redes sociais! Leia nossos outros artigos:

Nossos endereços para atendimento presencial:

Av. Américo Buaiz, 501 – Sala 109
Ed. Victória Office Tower Leste, Enseada do Suá, Vitória – ES, CEP: 29050-911

Telefone: (27) 99707-3433

R. Itapeva, 518 - sala 901 Bela Vista - São Paulo - SP, CEP: 01332-904

Telefones: (11) 3504-4304 e (11) 98758-7663

Posts Relacionados:


Compartilhe
Posts mais Populares
Acompanhe nosso Podcast!
Escute nossos conteúdos em áudio, na sua plataforma preferida:
Assine nossa Newsletter!

Assine nossa newsletter e receba em seu e-mail todos os nossos novos artigos.

Dr Diego de Castro dos Santos
Neurologia - Dr Diego de Castro
Dr Diego de Castro dos Santos é Neurologista pela USP e responsável pelo Serviço de Especialidades Neurológicas – Eletroneuromiografia. Atua como neurologista em Vitória Espírito Santo ES e em São Paulo no tratamento de Dor de Cabeça, Depressão, Doença de Parkinson, Miastenia gravis e outras doenças. Também se dedica a reabilitação de pacientes com AVC, distonias e crianças com paralisia cerebral, por meio de aplicação de toxina botulínica (Botox) e neuromodulação.
Dúvidas? Sugestões?

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

DR DIEGO DE CASTRO

Dr. Diego de Castro dos Santos
Neurofisiologia clínica - RQE 74154
Neurologia - RQE 74153
Diretor Clínico Autor e Responsável Técnico pelo Site – Mantenedor.

Missão do Site: Prover Soluções cada vez mais completas de forma facilitada para a gestão da saúde e o bem-estar das pessoas, com excelência, humanidade e sustentabilidade. Destinado ao público em geral.
NEUROLOGISTA EM SÃO PAULO – SP
CRM-SP 160074

R. Itapeva, 518 - sala 901
Bela Vista - São Paulo - SP 
CEP: 01332-904

Telefones:
(11) 3504-4304
(11) 98758-7663

NEUROLOGISTA VITÓRIA – ES
CRM-ES 11.111

Av. Américo Buaiz, 501 – Sala 109
Ed. Victória Office Tower Leste, Enseada do Suá, Vitória – ES, CEP: 29050-911

Telefones:
(27) 99707-3433
(27) 99886-7489

Utilizamos ferramentas e serviços de terceiros que utilizam cookies. Ao continuar navegando em nosso site, você concorda com o uso de cookies. Leia nossa política de privacidade/cookies para saber mais informações.
magnifier
× Como posso ajudar?
linkedin facebook pinterest youtube rss twitter instagram facebook-blank rss-blank linkedin-blank pinterest youtube twitter instagram