São Paulo: (11) 3504-4304 | Vitória: (27) 99707-3433 - (27) 99886-7489

Como Viver Bem com Parkinson | Dr Diego de Castro

Para viver bem com Parkinson, com uma boa qualidade de vida, disposição para enfrentar os desafios e sem se sentir vulnerável ou constrangido, alguns passos, que chamamos de Suporte Social, são muito importantes.

Neste vídeo, Dr Diego de Castro e Dr Gustavo Franklin conversam sobre estas estratégias que ajudam a melhorar a qualidade de vida da pessoa com Parkinson.

Muitas Pessoas ainda não Conhecem a Doença de Parkinson

É muito comum, por exemplo, um paciente ir a uma fila de banco, começar a tremer e as pessoas à volta começarem a olhar, pensando que está ele passando mal. E muitos pacientes acabam sentindo um constrangimento muito grande em uma situação como essa.

Mas é importante pensarmos que ainda existe muito desconhecimento sobre a doença de Parkinson. E quando as pessoas não conhecem, elas realmente olham com preconceito.

Então, não precisa se sentir inibido porque as outras pessoas estão olhando pra você. Mesmo que as pessoas olhem, não se preocupe, apenas informe:

"Eu tenho Parkinson e estou tremendo um pouco".

Sente, respire, tome uma água. Conforme você vai relaxando, o sintoma vai diminuindo. Tenha em mente que, quanto mais o paciente se sente observado, constrangido, mais os sintomas motores pioram (tremor, rigidez, dificuldade para andar). A ansiedade também pode ficar mais intensa.

Cada Pessoa Tem Seus Próprios Desafios

Uma das formas para não se deixar abater pelos desafios que a doença de Parkinson traz à sua vida é lembrar que todas as pessoas, cada uma, enfrenta seus próprios desafios.

Muitas vezes, a doença de Parkinson é mais nítida, mas também há muitas pessoas com diversos outros problemas:

  • Câncer
  • Infarte
  • Demência
  • Dor
  • Problemas familiares.

Não é somente você que tem uma condição que necessita de apoio. Quando pensamos dessa forma, podemos nos concentrar no que pode ser feito para melhorar a situação, ao invés de nos sentirmos tão vulneráveis e diferentes.

Sabemos que pode ser difícil, mas é um aprendizado. Não é do dia para a noite, mas aos poucos, é possível aprender a lidar com esta situação.

Importância das Associações para Viver Bem com Parkinson

Além da questão de que ninguém consegue superar algo sozinho, o paciente com Parkinson "sente coisas que mais ninguém sente".

É difícil para uma pessoa que não tem Parkinson entender, por exemplo, a dor que este paciente sente. Quem vai entender são os outros pacientes com Parkinson. Por isso é tão importante participar de associações.

Por exemplo, temos a Associação Brasil Parkinson, a Vibrar com Parkinson e várias outras espalhadas por todo o Brasil, onde você pode compartilhar suas experiências com pessoas que também estão enfrentando desafios semelhantes aos seus, sem ter medo de se sentir constrangido ou avaliado.

Nas associações, geralmente também é possível obter atendimento de serviços como fisioterapia, fonoaudióloga, nutricionista, que são importantes no tratamento.

Atividades Comunitárias e Sociais

Diversos estudos já foram realizados para avaliar o impacto de atividades comunitárias e sociais no tratamento da doença de Parkinson. Nós vamos compartilhar dois exemplos de resultados, para você compreender porque elas ajudam a melhorar a vida da pessoa com Parkinson.

Os argentinos têm a cultura do tango. Nos estudos realizados com pacientes que dançaram tango, foi identificada uma melhora no equilíbrio, na percepção de vida e uma diminuição nos sintomas depressivos.

Já os japoneses têm a cultura do tai chi chuan. O tai chi é parecido a uma ginástica, com movimentos bem leves, relacionados a equilíbrio, que os japoneses têm o costume de fazer em parques, geralmente várias pessoas juntas.

Nos estudos realizados com pacientes que fizeram tai chi também foi constatada uma melhora no equilíbrio, na percepção de vida e diminuição nos sintomas depressivos.

Nós achamos importante compartilhar estas informações porque são estratégias de tratamento sociais e físicas, que ajudam o paciente a viver bem com Parkinson.

Gostou deste vídeo? Compartilhe com um amigo! Siga-nos nas redes sociais.

Dr Diego de Castro Neurologista Tratamento do Parkinson

Dr Diego de Castro é neurologista pela USP, especializado em Doença de Parkinson e Distúrbios do Movimento. Dedica-se ao tratamento do Parkinson e disponibiliza conteúdo para pacientes e familiares sobre esta condição.

Leia outros artigos sobre este tema:

Nossos endereços para atendimento:

Avenida Américo Buaiz, 501 – Ed. Victória Office Tower Leste, Sala 109 - Enseada do Suá, Vitória - ES, 29050-911

Telefone: (27) 99707-3433

R. Itapeva, 518 - sala 901 - Bela Vista, São Paulo - SP, 01332-904

Telefones: (11) 3504-4304 e (11) 98758-7663

Posts mais Populares

Assine nossa Newsletter!

Assine nossa newsletter e receba em seu e-mail todos os nossos novos artigos.

DR DIEGO DE CASTRO

Dr. Diego de Castro dos Santos
Neurofisiologia clínica - RQE 74154
Neurologia - RQE 74153
Diretor Clínico Autor e Responsável Técnico pelo Site – Mantenedor.

Missão do Site: Prover Soluções cada vez mais completas de forma facilitada para a gestão da saúde e o bem-estar das pessoas, com excelência, humanidade e sustentabilidade. Destinado ao público em geral.
NEUROLOGISTA EM SÃO PAULO – SP
CRM-SP 160074

R. Itapeva, 518 - sala 901
Bela Vista - São Paulo - SP 
CEP: 01332-904

Telefones:
(11) 3504-4304
(11) 98758-7663

NEUROLOGISTA VITÓRIA – ES
CRM-ES 11.111

Av. Américo Buaiz, 501 – Sala 109
Ed. Victória Office Tower Leste, Enseada do Suá, Vitória – ES, CEP: 29050-911

Telefones:
(27) 99707-3433
(27) 99886-7489

Utilizamos ferramentas e serviços de terceiros que utilizam cookies. Ao continuar navegando em nosso site, você concorda com o uso de cookies. Leia nossa política de privacidade/cookies para saber mais informações.
magnifier
× Como posso ajudar?
linkedin facebook pinterest youtube rss twitter instagram facebook-blank rss-blank linkedin-blank pinterest youtube twitter instagram