São Paulo: (11) 98758-7663 - (11) 3262-4745 | Vitória: (27) 99707-3433 - (27) 99886-7489

Exercícios Físicos na Doença de Parkinson - Saiba Mais!

Dr. Diego de Castro dos Santos20/03/2019,
Compartilhe

A prática de exercícios físicos na Doença de Parkinson (DP) é um componente essencial do tratamento da postura, equilíbrio e mobilidade dos pacientes parkinsonianos. Segundo pesquisas publicadas na Clinical Journal of Sport Medicine, o exercício físico na Doença de Parkinson retarda a progressão da doença, além de diminuir sintomas de ansiedade e depressão.

Neste artigo, Dr Diego de Castro Neurologista e Neurofisiologista pela USP, esclarece os benefícios e a importância da prática de atividades físicas para melhorar a qualidade de vida de pessoas com Doença de Parkinson.

Exercícios Físicos na Doença de Parkinson

Praticar uma atividade física é importante para melhorar a saúde geral, memória, raciocínio de qualquer individuo, o que inclui pacientes com Parkinson.

Além disso, segundo o NHS no Reino Unido, os exercícios físicos contribuem efetivamente para o tratamento da doença de Parkinson e desempenham um papel preventivo na evolução da doença.

Abordamos no artigo sobre as Causas da Doença de Parkinson (https://drdiegodecastro.com/doenca-de-parkinson/) que a perda dos neurônios da região da substância negra e queda da dopamina é um dos principais mecanismos que causam a doença. A perda de dopamina afeta o controle motor, o humor, sono e outras funções cerebrais.

Pesquisas da Universidade da Califórnia demonstraram que o exercício físico é capaz de aumentar a liberação de dopamina em diversas regiões cerebrais. A longo prazo, a prática de atividades físicas promove liberação de outros neurotransmissores e melhora a atividade das vias neuronais mal funcionantes.

Ação da Atividade Física no Cérebro dos pacientes Parkinsonianos

Quando pacientes parkinsonianos realizam atividades físicas uma série de alterações metabólicas são induzidas no cérebro, entre elas estão:

  • Produção de fatores neurotróficos benéficos, particularmente o GDNF (fator neurotrófico derivado da glia), que reduz a vulnerabilidade dos neurônios da dopamina a lesões.
  • No nível molecular, há aumento do número de receptores de dopamina. Isso significa um sinal de dopamina mais eficiente.
  • Produção e reconstrução das sinapses neuronais, melhorando a comunicação entre os neurônios.
  • Ativação do córtex pre-frontal com ativação cerebral de áreas relacionadas ao planejamento motor e ao humor.

Dez benefícios dos Exercícios Físicos na Doença de Parkinson

Os benefícios dos exercícios físicos na Doença de Parkinson são variados e incluem:

  1. Diminuição da progressão da doença
  2. Melhora da postura
  3. Melhora da marcha (caminhar)
  4. Melhora do equilíbrio
  5. Diminuição do tremor
  6. Aumento da flexibilidade e força
  7. Aumento da velocidade e coordenação motora
  8. Preservação da massa óssea e muscular
  9.  Melhora do humor e ansiedade
  10.  Melhora do sono.

Exercícios também podem melhorar a cognição, depressão, fadiga e o funcionamento intestinal. Há um forte consenso entre os médicos e fisioterapeutas de que aumentar a mobilidade através do exercício pode melhorar o pensamento, a memória e reduzir o risco de quedas.

Exercícios Físicos na Doença de Parkinson

Qual a melhor atividade física para quem tem Parkinson?

A melhor atividade física para quem tem parkinson é aquela que você consegue realizar com afinco e regularidade. Se você está disposto a iniciar uma atividade sugerimos que você inicie com uma caminhada.

A caminhada é uma maneira simples e barata que está disponível a todos. Desprenda-se da "sensação de constrangimento ou timidez" de caminhar em público. Não se torne refém dos seus medos, dê um passo a frente.

Segundo a Movement Disorder Society outros tipos de exercícios que você também pode considerar:

Para pessoas com doença de Parkinson leve a moderada, os exercícios direcionados podem abordar sintomas específicos, por exemplo: o exercício aeróbico melhora a condição do sistema cardiovascular, os exercícios de caminhada auxiliam na marcha e o treinamento de resistência fortalece os músculos.

Dicas Práticas de Exercício no Parkinson

  • Prefira praticar seu exercício pela manhã
  • Estabeleça uma rotina com horário que respeite sua alimentação e medicamento
  • Faça o exercício depois de 30 minutos a 1h após tomar seus remédios de Parkinson. Nesse horário você estará menos rígido.
  • Estabeleça uma meta factível, por exemplo, caminhar 2 voltas no quarteirão da sua casa.
  • Inicie com algum amigo ou familiar te acompanhando. Isso te ajudará caso fique desmotivado ou precise de apoio
  • Nunca se preocupe o que os outros vão pensar nem se sinta envergonhado. Isso piora a sensação de "congelamento" e dificuldade de andar do Parkinson
  • Descomplique. Você não precisa ter o melhor tênis ou a melhor roupa para se exercitar
  • Tenha regularidade. Exercícios devem ser praticados pelo menos 5 dias na semana
  • Comece em qualquer dia. Você não precisa esperar a segunda feira para começar. Comece hoje!

Como Escolher os Exercícios Físicos

Qualquer forma de exercício físico que você faça sem se machucar fornecerá benefícios. É muito importante estar em movimento e não se entregar às limitações da doença.

Programas de exercícios equilibram vários aspectos diferentes da aptidão, incluindo força, equilíbrio, coordenação, flexibilidade e resistência e cada uma dessas áreas fornece um benefício para pessoas com Parkinson.

Exemplos de programas de exercícios físicos para pessoas com Parkinson incluem:

  • Treinamento esportivo;
  • Treinamento em esteira;
  • Treinamento de resistência;
  • Exercício aeróbico;
  • Formas alternativas de exercício (yoga ou Tai Chi);
  • Alongamento.

É importante considerar que os exercícios devem ser prescritos com base em uma avaliação clínica cuidadosa de capacidade funcional, saúde mental e função cardiorrespiratória. Com esses dados em mãos, o profissional de educação física ou fisioterapia poderá escolher o tipo de treinamento, duração, intensidade dos treinos.

O Colégio Americano de Medicina Esportiva (ACSM) publicou recomendações para a prescrição de exercícios para parkinsoniano. A maioria dessas recomendações se aplica aos pacientes que estão entre o estágio inicial a moderado.

Antes de iniciar qualquer novo exercício, consulte seu neurologista e um educador físico ou fisioterapeuta com experiência na Doença de Parkinson.

Orientações de Atividade Física - Dr Diego de Castro Neurologista & Neurofisiologista

Estimular a realização de atividades físicas é uma parte fundamental de um tratamento de sucesso. Dr Diego de Castro é Neurologista e Neurofisiologista pela USP especialista em Doença de Parkinson e Distúrbio do Movimento e trabalha para promover qualidade de vida, coragem e entusiasmo para pacientes que sofrem dessa enfermidade.

Seguindo as recomendações da Mayo Clinic disponibilizamos informação de qualidade sobre esse grupo de doenças.  Leia nossos outros artigos para aprender mais:

Nosso endereço de atendimento em São Paulo:

Rua Itapeva, 518 - sala 901
Bela Vista
São Paulo - SP, 01332-904
Tel: (11) 3262-4745

Especialidades Neurologicas - Eletroneuromiografia

Em Vitória -ES, Dr Diego de Castro oferece atendimento para Doença de Parkinson no seguinte endereço:

Avenida Americo Buaiz, 501 - Ed Victoria Office Tower - Torre Leste - Enseada do Suá - Vitória/ES
Tel: (27) 99707-3433

Posts Relacionados:


Compartilhe

Posts mais Populares

Assine nossa Newsletter!

Assine nossa newsletter e receba em seu e-mail todos os nossos novos artigos.

Dr Diego de Castro dos Santos
Dr Diego de Castro Neurologista
Dr Diego de Castro dos Santos é Neurologista pela USP e responsável pelo Serviço de Especialidades Neurológicas – Eletroneuromiografia. Atua como neurologista em Vitória Espírito Santo ES e em São Paulo no tratamento de Dor de Cabeça, Depressão, Doença de Parkinson, Miastenia gravis e outras doenças. Também se dedica a reabilitação de pacientes com AVC, distonias e crianças com paralisia cerebral, por meio de aplicação de toxina botulínica (Botox) e neuromodulação.
Dúvidas? Sugestões?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

DR DIEGO DE CASTRO

Dr. Diego de Castro dos Santos
Neurofisiologia clínica - RQE 74154
Neurologia - RQE 74153
Diretor Clínico Autor e Responsável Técnico pelo Site – Mantenedor.

Missão do Site: Prover Soluções cada vez mais completas de forma facilitada para a gestão da saúde e o bem-estar das pessoas, com excelência, humanidade e sustentabilidade. Destinado ao público em geral.
NEUROLOGISTA EM SÃO PAULO – SP
CRM-SP 160074

R. Itapeva, 518 - sala 901
Bela Vista - São Paulo - SP 
CEP: 01332-904

Telefones:
(11) 3262-4745
(11) 98758-7663

NEUROLOGISTA VITÓRIA – ES
CRM-ES 11.111

Av. Américo Buaiz, 501 – Sala 109
Ed. Victória Office Tower Leste, Enseada do Suá, Vitória – ES, CEP: 29050-911

Telefones:
(27) 99707-3433
(27) 99886-7489

magnifier
error: Content is protected !!
linkedin facebook pinterest youtube rss twitter instagram facebook-blank rss-blank linkedin-blank pinterest youtube twitter instagram