Alimentação e Dieta para Auxiliar no Tratamento da Doença de Parkinson

/, Doenças Neurodegenerativas, Neurologia, Tremor/Alimentação e Dieta para Auxiliar no Tratamento da Doença de Parkinson

Alimentação e Dieta para Auxiliar no Tratamento da Doença de Parkinson

Compartilhe

Conheça a Importância da Alimentação no Tratamento da Doença de Parkinson. Embora não exista prescrição médica para uma dieta específica na Doença de Parkinson, alguns cuidados com a alimentação podem ajudar no controle dos sintomas da doença. Este artigo visa conscientizar pacientes e familiares da importância de se comer adequadamente como uma forma de melhorar a qualidade de vida dos portadores de Doença de Parkinson.

Alimentação no Tratamento da Doença de Parkinson

Princípios gerais de uma dieta saudável na Doença de Parkinson:

  • Uma dieta com alimentos variados.
  • Porções pequenas ​​de alimentos.
  • O equilíbrio certo de grupos de alimentos.
  • Refeições regulares.
  • Ingerir pelo menos 2L de água por dia.
  • Pelo menos cinco porções de frutas e vegetais por dia.

A doença de Parkinson manifesta-se por diversos sintomas, incluindo os motores e os não motores. Cerca de 8 em cada 10 pacientes com Parkinson apresentam “intestino preso” (constipação). O mau funcionamento do intestino acarreta dificuldade na absorção dos remédios da Doença de Parkinson, piorando a rigidez, o humor, e também o sono. O intestino preso também acarreta perda de apetite, sensação de “estômago cheio” mesmo comendo alimentos e tendência a perda de massa muscular.

Ter uma dieta balanceada irá melhorar sua saúde e pode ajudar a aliviar vários problemas relacionados à doença. Os princípios gerais das dietas para Doença de Parkinson auxiliam muito na melhora do sintoma de constipação e devem ser aderidos por todos os pacientes com a doença.

Recomendações para a Alimentação no Tratamento da Doença de Parkinson

  • Evite dietas “da moda”. Coma alimentos de todos os grupos alimentares, seguindo as orientações do seu médico . Comer uma variedade de alimentos irá ajudá-lo a obter energia, proteína, vitaminas, minerais e fibras.
  • Escolha os grãos, vegetais e frutas, que fornecem vitaminas, minerais, fibras e carboidratos complexos, além de ajudar a diminuir a ingestão de gordura.
  • Limite a ingestão de açúcar! Esse é um alimento que os pacientes gostam de comer pela facilidade de digestão e pelo paladar. No entanto, uma dieta com muito açúcar pode ter muitas calorias e poucos nutrientes. Também contribui para a cárie dentária.
  • Reduza a ingestão de sal e sódio para diminuir o risco de pressão alta.
  • Incorpore em sua dieta alimentos ricos em antioxidantes, que são importantes para a saúde cerebral. Estes incluem frutas e legumes coloridos e as folhas verdes escuras (couve, espinafre, rúcula). Incorpore as folhas verdes ao cardápio doméstico pelo menos 1 vez ao dia.
  • Escolha alimentos com baixo teor de gordura, gordura saturada e colesterol. Os alimentos gordurosos ou fritos têm digestão mais lenta e podem piorar a constipação.
  • Evite bebidas alcoólicas, pois elas têm muitas calorias e poucos nutrientes. Beber álcool pode causar muitos problemas de saúde e acidentes, piorar o equilíbrio e ainda interagir com os remédios.

Alimentação no Tratamento da Doença de Parkinson – Alimentos Recomendados

  • Água – Certifique-se de ingerir cerca de 2L de água por dia. Os líquidos evitam a desidratação e sintomas como mal estar, cansaço e tontura. Eles também estabilizam a pressão arterial baixa e melhoram a constipação. Se você tem Doença de Parkinson e dificuldade de controle da urina, tome os líquidos ao acordar e até as 17h. Com isso você evita a possibilidade de levantar a noite para ir ao banheiro.
  • Ameixas – Rica em antioxidantes, fibra, vitamina A e potássio, além de tratar eficazmente a constipação.
  • Salmão, sardinha e atum – Possuem grande quantidade de proteína e ômega-3, saudáveis ​​para o coração e para saúde neurológica. O ômega-3 potencialmente auxilia na preservação da memória e do raciocínio.
  • Azeite e abacate –  Esses 2 alimentos contém gorduras sabidamente benéficas para a saúde geral. E seu consumo diário deve ser estimulado.
  • Brócolis e folhas verdes – Fonte de antioxidantes e uma alta fonte de fibras, vitamina C, cálcio, ferro e magnésio.
  • Chá Verde – Grande fonte de fitoquímicos que servem como antioxidante e uma ótima maneira de ingerir líquidos também. Além disso, é uma ótima fonte de antioxidantes para aqueles que querem baixas quantidades de calorias.
  • Chocolate – Se você gosta de doce, um pedaço de chocolate 70% está liberado 01 vez ao dia. O cacau, rico em flavonoides e outros antioxidantes, pode reduzir o risco de doenças cardiovasculares e do AVC. O cacau também pode aumentar a serotonina no cérebro, uma substância química que modula o humor. Cuidado com o chocolate processado, que é rico em gordura e açúcares. Moderação é fundamental!
  • Gengibre – O gengibre tem sido usado há séculos para tratar náuseas e a pesquisa científica está provando seu valor para o tratamento de náuseas durante a quimioterapia, por exemplo. O gengibre pode ajudar a aliviar náusea causada por medicamentos para tratar a doença de Parkinson. Usar gengibre na forma cristalizada é uma maneira de garantir que você está ingerindo o produto real, pois a pureza dos suplementos não é regulada.
  • Mamão – Fruta não só rica em antioxidantes, mas também contém uma enzima, chamada papaína, que pode diluir a saliva espessa e melhorar o funcionamento do intestino.
  • Farinha de aveia – Fácil de engolir, fácil de preparar, rica em fibras. Este alimento é uma opção de baixa proteína no café da manhã e a noite (altos níveis de proteína pode reduzir a absorção de L-dopa) também promove a saúde do coração e pode reduzir o colesterol. Ao invés de massas a base de trigo comum você pode preparar bolos e pães a base de aveia.
  • Iogurte natural – O iogurte natural é o “iogurte azedo” não processsado. Ele contém bactérias que protegem o organismo humano contra eventos inflamatórios. O iogurte ajuda a normalizar a flora bacteriana do paciente com doença de Parkinson e auxilia na constipação e na melhora do humor. Você pode preparar o iogurte natural em casa fermentando o leite comum.
  • Mel – Ao invés de açúcar, prefira adoçar o café, o chá ou iogurte com mel. Isso ajuda o paciente a consumir menos alimentos industrializados.
  • Cuidado com as carnes! – A carne vermelha deve ser ingerida pelo paciente com doença de Parkinson no máximo 1-2 vezes por semana. A carne tem digestão muito lenta e pela grande quantidade de proteínas atrapalha a absorção dos medicamentos diminuindo o efeito dos remédios. A carne vermelha por si só também piora a constipação.
  • Frango – O peito de frango é uma boa opção de proteína para os pacientes com doença de Parkinson. Ele apresenta digestão e absorção mais rápida e fácil do que as carnes vermelhas.

Alimentação no Tratamento da Doença de Parkinson

Você está lendo: Alimentação no Tratamento da Doença de Parkinson.

Alimentação no Tratamento da Doença de Parkinson – Sugestão de Consumo

Aqui uma sugestão básica de dieta contendo as orientações acima:

    • Manhã: Uma xícara de café, uma fatia de bolo com aveia ou pão integral. Um ovo mexido. Uma pequena porção de iogurte natural com mamão e mel ou outra fruta.
    • Às 10h: Uma porção de fruta: Laranja, manga, maça, banana ou outra fruta de preferência.
    • Almoço: Peito de frango acompanhado por brócolis ou salada verde. Uma pequena porção de arroz ou um legume cozido (batata doce, mandioca, abóbora). Você pode substituir o peito de frango pelo peixe ou por ovos mexidos (têm digestão mais fácil do que o ovo cozido). Troque os legumes diariamente.
    • Tarde: Uma outra porção de fruta ou chá com bolo.
    • Jantar: Caldo de feijão ou sopa de ervilhas ou lentilhas. Você pode fazer uma sopa com os alimentos que não foram consumidos no almoço. Evite refeições volumosas no jantar pois atrapalham o sono.

Se antes de dormir você ainda estiver com fome você pode consumir uma outra porção de iogurte com frutas.

Note que essa sugestão de cardápio é apenas para uma orientação geral. Você pode conseguir um cardápio mais específico e prático consultando um nutricionista. Além disso, os horários da dieta podem variar principalmente baseando-se no horário dos remédios.

Lembre-se de se manter bem hidratado e se exercitar. Abordamos neste artigo os benefícios da prática de atividades físicas no tratamento da doença de Parkinson.

Os cuidados com a alimentação não têm resultado imediato, mas são muito benéficos quando se tornam regulares a longo prazo. Tente se disciplinar e seguir essas recomendações a longo prazo!

Para saber mais sobre a alimentação no tratamento da doença de Parkinson, marque uma consulta e deixe-nos ajudar.

Dr Diego de Castro dos Santos cuida de pacientes com diversas doenças neurológicas, mas tem especial interesse no atendimento de pessoas com a Doença de Parkinson, uma doença especialmente desafiadora, tanto para o paciente quanto para a equipe que o atende.

Sua trajetória conta com a experiência adquirida como neurologista da Universidade de São Paulo e como médico colaborador no ambulatório de Neurogenética e no ambulatório de Neurocirurgia Funcional do Hospital das Clínicas da USP. Esta oportunidade foi de fundamental importância para aprofundar seu conhecimento no diagnóstico de doenças de origem neurogenética e na reabilitação neurológica por meio de neuromodulação (Estimulação Cerebral Profunda) e Toxina Botulínica – abordagens com grande utilidade no controle dos sintomas da doença de Parkinson.

Com o propósito de oferecer um atendimento de excelência e confiança, o Dr Diego de Castro realiza uma avaliação neurológica minuciosa, capaz de auxiliar na definição diagnóstica de seus sintomas e atua juntamente à equipe multidisciplinar para fornecer um tratamento eficaz a seus pacientes.

Dr Diego de Castro Neurologista & Neurofisiologista

R. Sampaio Viana, 253 – cj123 – Paraíso, São Paulo – SP, 04004-000

Telefone: (11) 2368-3067

Especialidades Neurológicas – Eletroneuromiografia

No Espírito Santo, também oferecemos um atendimento especializado às pessoas com doença de Parkinson, no Serviço de Especialidades Neurológicas, em Vitória, na Enseada do Suá, próximo ao Shopping Vitória.

Avenida Americo Buaiz, 501 – Victória Office Tower – Torre Leste – Enseada do Suá, Vitória – ES, 29050-911

Telefone: (27) 99707-3433

Artigo publicado em 30 de janeiro de 2019 e atualizado em 03 de setembro de 2019


Compartilhe

Dúvidas e ou Sugestões?

Informações de Contato

R. Sampaio Viana, 253 - cj123 Paraíso São Paulo - CEP: SP 04004-000

Phone: 11 2638-3067 / 98977-2982

Web: Dr Diego de Castro