Mais do que Tremor e Rigidez: Conheça os Sintomas Não Motores da Doença de Parkinson

/, Doenças Neurodegenerativas, Neurologia/Mais do que Tremor e Rigidez: Conheça os Sintomas Não Motores da Doença de Parkinson

Mais do que Tremor e Rigidez: Conheça os Sintomas Não Motores da Doença de Parkinson

Compartilhe

Embora a doença de Parkinson (DP) cause uma importante limitação motora pela presença de tremor, rigidez e lentidão dos movimentos ela também está associada a um número expressivo de outros sintomas. Esses sintomas são muito comuns e podem incluir distúrbios do humor, apatia, ansiedade, depressão, dificuldade de raciocínio, dificuldade de sono, problemas gastrointestinais entre outros. Esse conjunto de manifestações diversas e complexas são agrupadas sob o nome de “Sintomas Não Motores da Doença de Parkinson”.

Este artigo fornece uma visão geral dos sintomas não motores na DP, assim como sua abordagem clínica e terapêutica. Acompanhe.

Sintomas Não Motores da Doença de Parkinson

Os Sintomas Não Motores se tornam cada vez mais prevalentes com o avanço da doença de Parkinson. Contudo, muitos deles podem começar antes mesmo dos primeiros sinais motores. Isso acontece principalmente com os sintomas de depressão, diminuição do olfato ou distúrbio do sono (Distúrbio Comportamental do Sono REM).

À medida que a Doença de Parkinson progride os sintomas não motores podem se tornar um grande desafio. Cerca de 50% dos pacientes que têm doença de Parkinson há mais de 10 anos referem que os sintomas não motores podem interferir tanto quanto o tremor e a dificuldade de locomoção.

É importante que pacientes e familiares reconheçam esses sintomas e relatem para seu médico. Se não forem tratados, depressão, alucinações e dificuldades de raciocínio podem prejudicar a qualidade de vida. Além disso, podem representar uma das principais causas de hospitalização e institucionalização do paciente.

Os Tipos de Sintomas não Motores da Doença de Parkinson

Veja a seguir as principais categorias de sintomas não motores relatados pelos pacientes com a doença de Parkinson:

  • Alterações emocionais e de humor, incluindo depressão, ansiedade e irritabilidade;
  • Alterações cognitivas ou demência associadas a problemas de memória, linguagem e pensamento;
  • Alucinações e ilusões, fazendo com que as pessoas vejam, ouçam ou experimentem coisas que não são reais (alucinações), ou acreditem que as coisas não são verdadeiras (ilusões);
  • Hipotensão ortostática, uma queda repentina da pressão arterial que ocorre quando uma pessoa se levanta de uma posição sentada ou deitada. Ela provoca tonturas e, em casos extremos, perda de equilíbrio e desmaios;
  • Problemas de sono como insônia, pesadelos, sonhos emocionais e sono agitado;
  • Constipação ou problemas urinários;
  • Problemas de pele, como pele oleosa, particularmente na testa e nas laterais do nariz e, em alguns casos, no couro cabeludo. Em outros casos, a pele fica muito seca. Também há uma maior propensão ao desenvolvimento de câncer de pele;
  • Dor associada à rigidez muscular e articular;
  • Fadiga e perda de energia, que podem resultar de outros sintomas, como depressão, problemas de sono ou estresse muscular;
  • Problemas sexuais. A doença de Parkinson afeta os sinais nervosos do cérebro, o que pode causar problemas sexuais. Certos medicamentos utilizados no tratamento da doença também podem contribuir para esses problemas;
  • Cãibras musculares e distonia. As cãibras musculares estão associadas à rigidez muscular, especialmente nas pernas e dedos dos pés. A distonia resulta da variação dos níveis de dopamina que desencadeiam a contração muscular.

Outros exemplos de sintomas não motores podem incluir:

  • Problemas de visão;
  • Transpiração excessiva, especialmente nas mãos e pés, mesmo com pouco ou nenhum exercício;
  • Perda de olfato;
  • Perda ou ganho de peso;
  • Comportamentos impulsivos devido aos efeitos colaterais da medicação.

Sintomas Mistos Motores e não Motores

A National Parkinson’s Foundation atribui a classificação mista de sintomas motores e não motores aos músculos usados ​​na fala e na deglutição. Esses músculos também podem ser afetados por tremores, rigidez e lentidão de movimento, resultando em:

  • Salivação excessiva devido a dificuldades de deglutição;
  • Dificuldades de fala caracterizadas por uma voz suave e monótona. Algumas pessoas podem hesitar antes de falar ou algumas podem falar rápido demais.

Tratamento dos Sintomas não Motores da Doença de Parkinson

Como os sintomas não motores afetam diversas funções cotidianas, os pacientes precisam do acompanhamento não só de médicos e cuidadores. Outros profissionais de saúde, como psicólogo, fonoaudiólogo, fisioterapeuta e terapeuta ocupacional ajudam o paciente a lidar com a doença, controlar sintomas, aliviar a dor, reduzir o estresse e melhorar a qualidade de vida.

O primeiro passo para lidar com as mudanças que acompanham o diagnóstico de Parkinson é aumentar a conscientização. Procure identificar os novos sintomas e também como seu corpo responde a certas atividades, tensões e terapias. Uma maneira útil de fazer isso é registrando em um diário as mudanças que você percebe em sua saúde física e emocional a cada dia. Dessa forma, você pode discutir essas questões com seu médico e receber tratamento.

As orientações descritas em outros artigos artigos de nosso site podem guiá-lo na implementação de um estilo de vida que ajuda a atenuar tanto os sintomas motores, quanto os sintomas não motores da doença de Parkinson:

O Papel do Médico Neurologista

Dr Diego de Castro dos Santos cuida de pacientes com diversas doenças neurológicas, mas tem especial interesse no atendimento de pessoas com a Doença de Parkinson, uma doença especialmente desafiadora, tanto para o paciente quanto para a equipe que o atende.

Sua trajetória conta com a experiência adquirida como neurologista da Universidade de São Paulo e como médico colaborador no ambulatório de Neurogenética e no ambulatório de Neurocirurgia Funcional do Hospital das Clínicas da USP. Esta oportunidade foi de fundamental importância para aprofundar seu conhecimento no diagnóstico de doenças de origem neurogenética e na reabilitação neurológica por meio de neuromodulação (Estimulação Cerebral Profunda) e Toxina Botulínica – abordagens com grande utilidade no controle dos sintomas da doença de Parkinson.

Com o propósito de oferecer um atendimento de excelência e confiança, o Dr Diego de Castro realiza uma avaliação neurológica minuciosa, capaz de auxiliar na definição diagnóstica de seus sintomas e atua juntamente à equipe multidisciplinar para fornecer um tratamento eficaz a seus pacientes.

Neurologista em São Paulo – Dr Diego de Castro

R. Sampaio Viana, 253 – cj123 – Paraíso, São Paulo – SP, 04004-000

Telefone: (11) 2368-3067

Especialidades Neurológicas – Eletroneuromiografia

No Espírito Santo, também oferecemos um atendimento especializado às pessoas com doença de Parkinson, no Serviço de Especialidades Neurológicas, em Vitória, na Enseada do Suá, próximo ao Shopping Vitória.

Avenida Americo Buaiz, 501 – Victória Office Tower – Torre Leste – Enseada do Suá, Vitória – ES, 29050-911

Telefone: (27) 99707-3433


Compartilhe

Dúvidas e ou Sugestões?

Informações de Contato

R. Sampaio Viana, 253 - cj123 Paraíso São Paulo - CEP: SP 04004-000

Phone: 11 2638-3067 / 98977-2982

Web: Dr Diego de Castro