São Paulo: (11) 98758-7663 - (11) 3262-4745 | Vitória: (27) 99707-3433 - (27) 99886-7489

Ataxia Cerebelar - Entenda esse tipo de Ataxia

Dr. Diego de Castro dos Santos09/06/2020
Compartilhe

A Ataxia Cerebelar é um tipo de ataxia causado por lesão ou mau funcionamento do cerebelo.

O cerebelo é a parte do sistema nervoso que controla:

  1. Coordenação
  2. Equilíbrio
  3. Precisão de movimentos

Assim, qualquer lesão cerebelar pode provocar incoordenação do movimento, o que tecnicamente chamamos de "ataxia".

Além de lesão do cerebelo, a ataxia pode ser causada por distúrbios em outras partes do sistema nervoso (por exemplo: tronco cerebral, medula espinhal e nervos periféricos). Neste artigo Dr Diego de Castro Neurologista da USP fala especificamente sobre a ataxia cerebelar, sintomas e diagnóstico.

Ataxia Cerebelar - o que é?

O termo ataxia tem origem grega "a" sem "taxis" "ordem" e caracteriza uma dificuldade de ordenar e coordenar o movimento. Segundo pesquisa da Practical Neurology, a ataxia cerebelar refere-se a um grande grupo de doenças em que a ataxia é causada por lesões no cerebelo e suas vias.

O cerebelo é o órgão do equilíbrio e da precisão. Ele pode ser lesionado diante de muitos fatores como:

  • Má formações
  • Trauma de Crânio
  • AVC
  • Medicamentos
  • Toxinas
  • Doenças Inflamatórias
  • Infecções
  • Doenças Neurodegenerativas
  • Tumores
  • Doenças Genéticas

Para facilitar a investigação dos casos de ataxia cerebelar agrupamos todas essas condições em dois grandes grupos:

  1. Ataxia Cerebelar Hereditária (genéticas)
  2. Ataxia Cerebelar Esporádica

De acordo com a Mayo Clinic, as formas genéticas são determinadas por mutações que têm um risco de serem transmitidas entre as gerações. Os genes mutados produzem produtos tóxicos que lesam o cerebelo.

Os padrões de herança já conhecidos da ataxia cerebelar hereditária incluem:

  1. Autossômico dominante
  2. Autossômico recessivo
  3. Ligada ao X
  4. Mitocondrial.

Algumas vezes, pacientes podem desenvolver uma mutação nova, não herdada, mas que determina um quadro atáxico (mutação de novo).

As formas esporádicas de ataxia cerebelar incluem todas as condições não genéticas. Nos indivíduos maiores de 50 anos, ela é causada principalmente por AVC ou doenças neurodegenerativas como a Atrofia de Múltiplos Sistemas. Já nas crianças, má formações (Má formação de Chiari) são a causa mais comum.

Sintomas da Ataxia Cerebelar

Segundo o NHS, os sintomas mais comuns da ataxia cerebelar são:

  1. Dificuldades de marcha
  2. Dificuldade do equilíbrio
  3. Incoordenação com as mãos

Os sintomas podem ser descritos como "perda de equilíbrio", "andar como um bêbado", "não conseguir andar em linha reta", entre outros.

Outros sintomas incluem:

  • Tontura
  • Visão turva
  • Fala arrastada
  • Dificuldade em engolir
  • Falta de jeito
  • Escrita desleixada
  • Habilidades motoras finas prejudicadas
  • Tremor.
Ataxia Cerebelar
Perda de Equilíbrio - Sintoma de Ataxia Cerebelar

Veja a seguir informações mais detalhadas sobre os sintomas apresentados, assim como as opções terapêuticas para cada um deles.

Diagnóstico da Ataxia Cerebelar

Segundo pesquisa da Arquivos de Neuropsiquiatria, o diagnóstico de ataxia cerebelar é baseado em:

  • História Clínica e Familiar
  • Exame Neurológico
  • Exames de imagem (Ressonância Magnética)
  • Exames Laboratoriais
  • Testes Genéticos.

O principal determinante para o diagnóstico da ataxia é a história clínica e o exame neurológico. Não existe nenhum exame complementar capaz de confirmar se há ou não uma ataxia cerebelar. Por esse motivo, a qualidade do neurologista é determinante nessa situação.

Os exames são solicitados para determinar a causa do quadro atáxico:

  • A ressonância pode evidenciar a atrofia do cerebelo e lesão em outras estruturas que ajudam no diagnóstico.
  • Exames laboratoriais (sangue) são solicitados buscando alterações possivelmente tratáveis. No entanto, na maioria das vezes esses exames são inocentes.
  • Testes genéticos são solicitados a depender da história familiar ou de outras características clínicas.

Os testes genéticos são exames muito úteis para o diagnóstico. Atualmente, há mais de 100 genes descritos que causam ataxia cerebelar. As formas mais comuns no Brasil são um grupo de mutações denominadas Ataxias Espinocerebelares (SCA). Entre elas estão:

Por vezes, mesmo após ampla investigação genética a causa da ataxia cerebelar pode permanecer indeterminada.

Tratamentos

Segundo Johns Hopkins, o tratamento da ataxia cerebelar deve ser multidisciplinar e de longo prazo, para ajudar o paciente a lidar com seus sintomas e as condições relacionadas.

É importante que a equipe multidisciplinar inclua:

  • Neurologistas
  • Fisioterapia
  • Fonoaudiologia
  • Nutrição
  • Terapia Ocupacional
  • Psicólogos
  • Aconselhamento genético

Todos profissionais trabalham juntos para ajudar a identificar condições subjacentes e gerenciar sintomas.

Se a causa da ataxia cerebelar puder ser determinada, seu tratamento se concentra em tratar essa condição e, se possível, reverter a disfunção. No entanto, quando a causa ainda não estiver clara ou se houver um componente genético, seu tratamento se concentra no gerenciamento dos sintomas da ataxia e em medidas que ajudem a melhorar sua qualidade de vida.

Para tratamento dos sintomas, o NHS recomenda:

Problemas da Fala e Deglutição

  • Fala arrastada (disartria) e problemas de deglutição (disfagia) são sintomas comuns da ataxia.
  • Um fonoaudiólogo pode ajudar a tornar sua voz mais clara, com ajustes na postura, realização de exercícios e técnicas de respiração.
  • Para a disfagia, exercícios podem estimular e fortalecer os músculos e nervos usados ​​na deglutição. Um nutricionista pode indicar alimentos mais fáceis de engolir.

Problemas Musculares

  • Medicamentos relaxantes musculares como baclofeno ou tizanidina podem ser usados ​​para controlar espasmos musculares, cãibras e rigidez.
  • Se estes não forem eficazes ou apresentarem muitos efeitos colaterais, pode ser realizada aplicação de toxina botulínica (Botox), que funciona bloqueando os sinais do cérebro para os músculos afetados.

Problemas Urinários

  • Nos casos em que acontece urgência ou incontinência urinária, são indicadas técnicas de autocuidado, como controlar a ingestão de líquidos e evitar bebidas que estimulam a produção de urina, como cafeína e álcool.
  • Algumas pessoas também se beneficiar de medicamentos antimuscarínicos, para relaxar a bexiga, reduzindo o desejo frequente de urinar. Injeções ocasionais de toxina botulínica na bexiga também podem ajudar.

Problemas Oculares

  • Algumas pessoas com ataxia experimentam visão dupla ou oscilopsia (movimento involuntário dos olhos de um lado para o outro ou para cima e para baixo), que pode ser tratada com medicamentos como a gabapentina.
  • Para a visão dupla, um médico oftalmologista pode prescrever uma espécie de prisma que pode ser ajustado aos seus óculos.

Lesões Nervosas

  • Danos nas terminações nervosas podem resultar em dor em queimação ou formigamento em certas partes do corpo. Para tratamento deste tipo de dor, é necessário o uso de medicamentos como amitriptilina, gabapentina ou pregabalina.
  • Em alguns homens, a lesão nervosa também pode causar disfunção erétil. Nestes casos, medicamentos urológicos podem ajudar a combater o problema.

Fadiga

  • Pensa-se que sentir-se extremamente cansado e com falta de energia seja parcialmente causado por distúrbios do sono e pelos esforços físicos de ter que lidar com a perda de coordenação.
  • A fisioterapia e a terapia ocupacional podem ajudar a aumentar os níveis de resistência e adaptar suas atividades diárias para lidar melhor com a fadiga.

Depressão

  • Viver com ataxia pode ser estressante e causar sentimentos de ansiedade ou depressão.
  • Para lhe ajudar a lidar melhor com esta condição, seu médico pode lhe indicar vários tratamentos, entre eles o uso de antidepressivos e terapia cognitivo-comportamental (TCC).

Neurologista Especialista em Ataxia Cerebelar

Dr Diego de Catro é Neurologista pela USP. Como Neurologista Especialista nos diversos tipos de Ataxia, Dr Diego de Castro concentra-se em oferecer a seus pacientes uma avaliação neurológica e investigação para diagnóstico.

Quer continuar aprendendo? Leia nossos outros artigos relacionados:

Informações de contato:

Dr Diego de Castro - Neurologista: Avenida Americo Buaiz, 501 – Victória Office Tower – Torre Leste – Enseada do Suá, Vitória – ES, 29050-911, próximo ao Shopping Vitória.

Telefone: (27) 99707-3433

Posts Relacionados:


Compartilhe

Posts mais Populares

Assine nossa Newsletter!

Assine nossa newsletter e receba em seu e-mail todos os nossos novos artigos.

Dr Diego de Castro dos Santos
Dr Diego de Castro Neurologista
Dr Diego de Castro dos Santos é Neurologista pela USP e responsável pelo Serviço de Especialidades Neurológicas – Eletroneuromiografia. Atua como neurologista em Vitória Espírito Santo ES e em São Paulo no tratamento de Dor de Cabeça, Depressão, Doença de Parkinson, Miastenia gravis e outras doenças. Também se dedica a reabilitação de pacientes com AVC, distonias e crianças com paralisia cerebral, por meio de aplicação de toxina botulínica (Botox) e neuromodulação.
Dúvidas? Sugestões?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

DR DIEGO DE CASTRO

Dr. Diego de Castro dos Santos
Neurofisiologia clínica - RQE 74154
Neurologia - RQE 74153
Diretor Clínico Autor e Responsável Técnico pelo Site – Mantenedor.

Missão do Site: Prover Soluções cada vez mais completas de forma facilitada para a gestão da saúde e o bem-estar das pessoas, com excelência, humanidade e sustentabilidade. Destinado ao público em geral.
NEUROLOGISTA EM SÃO PAULO – SP
CRM-SP 160074

R. Itapeva, 518 - sala 901
Bela Vista - São Paulo - SP 
CEP: 01332-904

Telefones:
(11) 3262-4745
(11) 98758-7663

NEUROLOGISTA VITÓRIA – ES
CRM-ES 11.111

Av. Américo Buaiz, 501 – Sala 109
Ed. Victória Office Tower Leste, Enseada do Suá, Vitória – ES, CEP: 29050-911

Telefones:
(27) 99707-3433
(27) 99886-7489

magnifier linkedin facebook pinterest youtube rss twitter instagram facebook-blank rss-blank linkedin-blank pinterest youtube twitter instagram