Tratamento para Fascite Plantar com Aplicação de Toxina Botulínica (Botox)

/, Botox em Vitória, Dor Crônica, Toxina Botulínica/Tratamento para Fascite Plantar com Aplicação de Toxina Botulínica (Botox)

Tratamento para Fascite Plantar com Aplicação de Toxina Botulínica (Botox)

Compartilhe

A aplicação de toxina botulínica (botox) é uma forma de tratamento da fascite plantar crônica para pacientes que já estão sofrendo com a dor e fizeram outras tentativas de tratamento da fascite.

O tratamento da fascite plantar engloba múltiplas medidas antes da aplicação de toxina botulínica como fisioterapia, alongamentos, palmilhas, acupuntura ou terapia por ondas de choque.

No entanto, esses tratamentos podem exigir muito tempo da parte do paciente e do terapeuta e não serem suficientes para melhorar a dor em todos os casos. A cirurgia deve ser restrita a pacientes que não respondem ao tratamento conservador.

A aplicação de toxina botulínica A possui um efeito de analgesia direta devido às suas propriedades antinociceptivas e anti-inflamatórias.

Neste artigo, saiba mais sobre estes efeitos e os benefícios da aplicação de toxina botulínica para tratamento da fascite plantar.

O que é a Fascite Plantar?

A fascite plantar é a causa mais comum de dor no calcanhar plantar e está comumente presente em pessoas com 40 anos de idade ou mais, com sobrepeso, sedentárias ou com atividade física intensa.

É causada pelo alongamento excessivo da fáscia plantar: uma faixa de tecido conectivo que se estende até a base das falanges. Isso produz micro-lacerações mais comumente em sua origem na tuberosidade medial do calcâneo, que causa um processo inflamatório e dor. Essa dor geralmente ocorre quando a pessoa se levanta pela manhã depois de dormir ou depois de ficar sentada por muito tempo. É quando a fáscia é esticada depois de estar em uma posição de contração.

Excesso de peso e trabalho em pé são considerados fatores predisponentes, assim como pequenos traumas, compressão do nervo da Baxter, ou dorsiflexão do tornozelo limitada.

Qual é o Tratamento da Fascite Plantar?

Há uma grande variedade de tratamentos para essa condição, dentre eles, um dos mais comuns é o uso de esteróides intralesionais. Outros tratamentos são ondas de choque extracorpóreas, aplicação de plasma rico em plaquetas e aplicação de toxina botulínica A intralesional.

Todos estes tipos de tratamento devem ser acompanhados pelas terapias comportamentais.

Tratamento Comportamental

Mais de 90% dos pacientes com fascite plantar irão melhorar dentro de 10 meses após o início dos métodos de tratamento descritos abaixo:

  • Descansar. Diminuir ou mesmo interromper as atividades que pioram a dor é o primeiro passo. Você pode precisar interromper as atividades atléticas onde seus pés batem em superfícies duras (por exemplo, corrida ou aeróbica).
  • Gelo. Rolar o pé sobre uma garrafa de água fria ou gelo por 20 minutos é eficaz. Isso pode ser feito 3 a 4 vezes por dia.
  • Exercício. Fascite plantar é agravada por músculos tensos em seus pés e panturrilhas. Exercícios de alongamento ajudam a aliviar a dor que vem com essa condição.
  • Sapatos de apoio e órteses. Sapatos com solas grossas e amortecimento extra podem reduzir a dor ao ficar de pé e caminhar. Conforme você pisa e seu calcanhar bate no chão, uma quantidade significativa de tensão é colocada na fáscia, o que causa microtrauma (pequenas lesões no tecido). Uma sapatilha ou inserção amortecida reduz essa tensão e o microtrauma que ocorre a cada passo. Almofadas de calcanhar de silicone macio são baratas e funcionam elevando e amortecendo o seu calcanhar. Órteses pré-fabricadas ou personalizadas (inserções de sapatos) também são úteis.
  • Talas para dormir à noite. A maioria das pessoas dorme com os pés voltados para baixo. Isso relaxa a fáscia plantar e é uma das razões para a dor no calcanhar matinal. Uma tala noturna estica a fáscia plantar enquanto você dorme. Embora possa ser difícil dormir com uma tala noturna é muito eficaz.
  • Fisioterapia. Seu médico pode sugerir que você trabalhe com um fisioterapeuta em um programa de exercícios que se concentre em alongar os músculos da panturrilha e a fascia plantar. Além de exercícios como os mencionados acima, um programa de fisioterapia pode envolver tratamentos especializados de gelo, massagem e medicação para diminuir a inflamação ao redor da fáscia plantar.

Tratamento com Ondas de Choque e aplicação de corticóides

  • Terapia extracorpórea por ondas de choque. Durante este procedimento, os impulsos de ondas de choque de alta energia estimulam o processo de cicatrização no tecido da fáscia plantar danificado. A terapia não é invasiva – não requer uma incisão cirúrgica. Devido ao risco mínimo envolvido, é por vezes tentada antes de a cirurgia ser considerada.
  • Aplicações intralesionais de esteróides. Este método consiste em injeções locais de esteróides nos pontos de dor. Essa terapia reduz a sintomatologia em muitos casos, porém com efeitos indesejáveis, como atrofia de gordura subcutânea, ruptura da fáscia plantar, lesão do nervo periférico, dano muscular e fraturas por estresse.

Tratamento com cirurgia

A cirurgia é considerada apenas após 12 meses de tratamento agressivo não cirúrgico.

  • Recessão do gastrocnêmio. Este é um alongamento cirúrgico dos músculos da panturrilha (gastrocnêmio). Como os músculos da panturrilha apertados aumentam o estresse na fáscia plantar, esse procedimento é útil para pacientes que ainda têm dificuldade para flexionar os pés, apesar de um ano de alongamento da panturrilha.

Na recessão do gastrocnêmio, um dos dois músculos que compõem a panturrilha é alongado para aumentar o movimento do tornozelo. O procedimento pode ser realizado com uma incisão aberta tradicional ou com uma incisão menor e um endoscópio, um instrumento que contém uma pequena câmera. Seu médico irá discutir o procedimento que melhor atenda às suas necessidades.

As taxas de complicação para recessão gastrocnêmica são baixas, mas podem incluir danos nos nervos.

  • Liberação da fáscia plantar. Se você tem uma amplitude normal de movimento do tornozelo e dor persistente no calcanhar, seu médico pode recomendar um procedimento de liberação parcial. Durante a cirurgia, o ligamento da fáscia plantar é parcialmente cortado para aliviar a tensão no tecido. Se você tiver um esporão grande, ele será removido também. Embora a cirurgia possa ser realizada endoscopicamente, é mais difícil do que com uma incisão aberta. Além disso, a endoscopia apresenta maior risco de dano neural.

As complicações mais comuns da cirurgia de liberação incluem alívio incompleto da dor e danos nos nervos.

A maioria dos pacientes apresenta bons resultados da cirurgia. No entanto, como a cirurgia pode resultar em dor crônica e insatisfação, ela é recomendada somente após todas as medidas não cirúrgicas terem sido esgotadas.

Aplicação da Toxina Botulínica (Botox) no Tratamento da Fascite Plantar

Estudos recentes mostraram que a aplicação de toxina botulínica A (Botox) intralesional em pacientes com fascite plantar ajuda a melhorar a sintomatologia para diminuir a dor, tanto na intensidade quanto no tempo de apresentação, além de uma diminuição da inflamação da fáscia plantar.

A toxina botulínica é aplicada regularmente nos músculos, para bloquear a liberação de acetilcolina na placa neuromuscular e obter seu relaxamento. Para tratamento da fascite plantar, a toxina botulínica pode ser aplicada diretamente nos pontos de dor, pois há informações de que a toxina também tem efeito analgésico e anti-inflamatório e não apenas de relaxamento muscular.

Uma vez injetado na fáscia plantar do pé afetado, o Botox paralisa os músculos adjacentes no osso do calcanhar que fica logo acima da fáscia plantar. O efeito paralisante faz com que um neurotransmissor associado à dor seja desativado, reduzindo a dor da fascite plantar. O Botox também fornece benefícios anti-inflamatórios para a região tratada, o que pode minimizar ainda mais a dor e outros sintomas de inflamação, como inchaço e vermelhidão.

A maioria das pessoas não precisa de cirurgia para aliviar a dor da fascite plantar. Em vez disso, sua condição melhora através de fisioterapia, tratamentos caseiros e tratamentos médicos. A associação dessas abordagens terapêuticas com a aplicação de toxina botulínica amplia os horizontes e traz a possibilidade de maiores benefícios para os pacientes com fascite plantar.

Dr Diego de Castro é Neurologista pela USP e atua na reabilitação de pacientes com diversas condições relacionadas à dor crônica, por meio de uma avaliação neurológica elaborada e da aplicação de toxina botulínica.

No Serviço de Especialidades Neurológicas, com unidades em Vitória – ES e São Paulo, oferece um serviço de qualidade de assistência para melhorar a qualidade de vida de pacientes que sofrem com um sintoma tão debilitante como a dor crônica.

Para saber mais sobre a nossa abordagem ao tratamento da fascite plantar, veja abaixo nossas informações de contato para agendamento de consultas e aplicação de toxina botulínica:

Neurologista em São Paulo – Dr Diego de Castro

Rua Itapeva, 518 – sala 901
Bela Vista
São Paulo – SP, 01332-904

Telefone: (11) 3262-4745

Especialidades Neurológicas – Eletroneuromiografia

Avenida Americo Buaiz, 501 – Victória Office Tower – Torre Leste – Enseada do Suá, Vitória – ES, 29050-911, próximo ao Shopping Vitória.

Telefone: (27) 99707-3433


Compartilhe

Dúvidas e ou Sugestões?

Informações de Contato

Avenida Americo Buaiz, 501 – Victória Office Tower – Torre Leste – Enseada do Suá, Vitória – ES, 29050-911, próximo ao Shopping Vitória.

Phone: (27) 99707-3433

Web: Dr Diego de Castro