Tratamento com Toxina Botulínica para Distonia – Saiba Mais

/, Eletroneuromiografia, Neurologia, Toxina Botulínica/Tratamento com Toxina Botulínica para Distonia – Saiba Mais

Tratamento com Toxina Botulínica para Distonia – Saiba Mais

Compartilhe

O tratamento com toxina botulínica para distonia trata-se de um grande avanço nos últimos anos, sendo atualmente uma das medidas terapêuticas mais eficazes nos casos de distonias focais.

Com a leitura deste artigo, conheça as principais informações sobre este tratamento, suas indicações e realização.

Toxina Botulínica para Distonia

A toxina botulínica é um medicamento usado no Brasil e no mundo sob diferentes marcas: Botox, Dysport, Sygma, Xeomin, etc. É uma medicação utilizada por via intramuscular.

A aplicação de toxina botulínica é a primeira opção terapêutica para os casos de distonias focais, especialmente os casos de distonia que atingem o pescoço (distonia cervical), a boca e língua (distonia oromandibular), as cordas vocais (distonia laríngea ou disfonia espasmódica) além da distonia que afeta metade do corpo (hemidistonia) e a distonia que se manifesta ao escrever (cãibra do escrivão).

O uso da toxina também possui bons resultados em doenças neurodegenerativas que apresentem componente distônico.

Toxina Botulínica para Distonia – Mecanismo de Ação

As injeções de toxina botulínica são realizadas para reduzir o excesso de contração muscular causada pela distonia. A injeção permite que a toxina seja direcionada diretamente para os músculos afetados. Neste local, ela atua na junção neuromuscular (região onde o nervo se liga ao músculo), impedindo a ação do neurotransmissor acetilcolina, que é responsável por estimular a contração muscular.

Como resultado, os estímulos excessivos para a contração muscular são interrompidos e os espasmos musculares são reduzidos ou eliminados.

Toxina Botulínica para Distonia – Indicação

Como cada músculo afetado pela distonia necessita de uma injeção individual, a toxina botulínica é tem resultado superior no tratamento das distonias focais.

No entanto, a toxina também é uma ferramenta útil para complementar o tratamento das distonias generalizadas (leia nosso artigo sobre as outras modalidades de tratamento da distonia https://drdiegodecastro.com/distonia-disturbio-do-movimento/)

Toxina Botulínica para Distonia – Aplicação

A aplicação da toxina botulínica é realizada por meio de injeção diretamente nos músculos que geram as contrações involuntárias.

Para o sucesso do tratamento, é necessária uma adequada identificação dos músculos alvo, assim como um cálculo preciso da dose em função dos músculos a serem infiltrados.

A Eletroneuromiografia na Aplicação da Toxina Botulínica

Para uma melhor seleção, pode ser recomendado aplicar a injeção com auxílio do exame de eletroneuromiografia, principalmente para segmentar os músculos mais profundos, que são de difícil acesso.

Ao utilizar a eletroneuromiografia, o médico coloca dois pequenos eletrodos na pele, sendo que um deles será preso às agulhas de injeção. A técnica de injeção guiada por eletromiografia permite identificar os músculos com maior atividade distônica, escolhendo os músculos mais comprometidos com grande precisão.

Uma ferramenta alternativa para alguns casos é utilizar a aplicação da toxina por meio de ultrassonografia.

Toxina Botulínica para Distonia – Efeitos

O efeito da toxina botulínica tem início entre 24 a 72 horas após a aplicação. A melhora clínica é perceptível entre 7 a 10 dias e o melhor resultado é atingido entre 3 e 4 semanas.

A duração do efeito da toxina é variável entre 2 a 6 meses. De de acordo com o efeito da aplicação, pode ser recomendado um intervalo mínimo de 3 a 4 meses entre as aplicações.

Efeitos Colaterais

Os efeitos colaterais relacionados à aplicação de toxina botulínica podem ocorrer, principalmente, devido à realização da infiltração. Os mais relatados são dor, edema ou pequenos hematomas.

Estes possíveis efeitos colaterais podem ser aliviados com o uso de analgésicos e cuidados locais, como a aplicação de gelo, desaparecendo em alguns dias. É importante relatar ao seu médico o aparecimento desses sintomas, para que ele seja capaz de prescrever o tratamento adequado. No geral os efeitos colaterais são transitórios e não comprometem o indivíduo.

toxina-botulinica

Toxina Botulínica para Distonia – Importância da Associação com Fisioterapia

No tratamento das distonias, a aplicação da toxina botulínica apresenta maior eficácia quando associada à terapia de reabilitação física, especialmente com técnicas de fisioterapia, terapia ocupacional e fonoaudiologia. Várias técnicas como relaxamento, alongamento, RPG e biofeedback podem ser utilizadas em associação à aplicação da toxina botulínica.

A fisioterapia, como recurso terapêutico, pode auxiliar o paciente com distonia a melhorar seu desempenho em atividades básicas e instrumentais de vida diária,ou mesmo de trabalho e de lazer, favorecendo uma maior independência funcional.

Você conhece alguma pessoa que sofre com distonia? Compartilhe este artigo sobre o tratamento com toxina botulínica e seus benefícios.


Compartilhe
2018-11-30T12:18:52+00:00 quarta-feira 5 de dezembro 2018|Distonia, Eletroneuromiografia, Neurologia, Toxina Botulínica|0 Comentários

Dúvidas e ou Sugestões?

Informações de Contato

Av Ibirapuera 2907, Conjunto 1618 Moema, São Paulo/ BR CEP 04029-200

Phone: 11 3522-9515

Web: Dr Diego de Castro