Cuidados e Tratamentos para Neuropatia Diabética

/, Neuropatia Diabética/Cuidados e Tratamentos para Neuropatia Diabética

Cuidados e Tratamentos para Neuropatia Diabética

Compartilhe

Já abordamos em um dos artigos aqui no site uma visão geral da neuropatia diabética, principalmente seus sinais e sintomas, fatores de risco e diagnóstico. Neste artigo, vamos aprofundar um pouco mais o assunto, focando nas formas de cuidados e tratamentos para neuropatia diabética.

Para relembrar, neuropatia diabética é um termo médico para lesão dos nervos periféricos, por complicação do excesso de glicose na corrente sanguínea, condição presente na diabetes.

Os sintomas da neuropatia diabética incluem perda de sensibilidade, dor, queimação ou sensação de pontadas nos membros inferiores e superiores, mas principalmente, nos pés e pernas.

Tratamentos para Neuropatia Diabética

O tratamento da neuropatia diabética é realizado em três vertentes: o controle dos níveis de açúcar no sangue; os cuidados com os pés, evitando complicações e o controle dos sintomas já presentes.

Controle dos Níveis de Glicose Sanguínea

Os sintomas da neuropatia estabilizam quando os níveis glicêmicos de açúcar estão adequadamente controlados.

Para isto, é importante que o paciente monitore sua glicose sanguínea frequentemente, mantenha sua dieta saudável, faça exercícios físicos regularmente e tome seus medicamentos todos os dias.

Cuidados com os Pés

Pessoas com neuropatia podem ter falta de sensibilidade nos pés. O resultado é: não sentir dor ao ocorrer uma ferida no local. Dessa forma, é necessário um cuidado diário com os pés, para verificar possíveis alterações na pele, como rachaduras ou feridas, que podem aumentar o risco de infecção, ou mesmo evitar ocorrências como estas. Veja a seguir alguns cuidados essenciais:

Lavar e Verificar os Pés Diariamente

Aproveite este momento para verificar toda a superfície dos pés, procurando por fissuras na pele, bolhas, inchaço ou vermelhidão. Use um espelho ou peça ajuda, se for difícil examinar o pé inteiro, incluindo entre e embaixo dos dedos, onde é mais difícil identificar possíveis danos.

Para limpar os pés, utilize água levemente morna e sabão neutro, seque com uma toalha macia e aplique um creme hidratante ou óleo de girassol. Se houver algum tipo de ferida apenas lave e seque com sabão neutro e procure imediatamente ajuda médica para uma avaliação adequada.

Evitar Atividades com Risco de Ferir os Pés

Algumas atividades possuem maior risco de ferimentos nos pés, como andar descalço, sapatos apertados e pouco macios, usar bolsa de água muito quente no local  e entrar em uma banheira antes de testar a temperatura, por exemplo.

Ter Cuidado ao Cortar as Unhas  

As unhas devem ser cortadas no formato arredondado, não em linha reta. Também é recomendado lixá-las, para remover arestas afiadas.

Retirar as cutículas não é recomendado, assim como não furar bolhas ou retirar unhas encravadas. Quando houver problemas como estes, é importante consultar seu médico.

Escolher Meias e Sapatos Adequados

Prefira as meias de algodão, que são mais confortáveis e se encaixam facilmente nos pés. Os calçados devem estar bem ajustados e não devem ser apertados, para evitar bolhas.

Se seus pés estiverem deformados ou apresentarem úlceras, mandar fazer sapatos personalizados pode melhorar o seu conforto e prevenir mais complicações.

Realizar Exames Frequentes nos Pés

A American Diabetes Association recomenda que pessoas com diabetes realizem uma vez por ano o exame abrangente do pé, sendo que um exame visual dos pés deve ser realizado em toda consulta médica: a cada três ou quatro meses.

Em cada consulta, os sapatos e as meias devem ser removidos, para que o médico verifique se há problemas de circulação, danos nos nervos, deformidades ou alterações na pele. O paciente deve mencionar quaisquer problemas que tenha notado nos pés.

O exame abrangente pode identificar reflexos diminuídos, redução da capacidade de sentir pressão, vibração, picadas de alfinete e alterações de temperatura. Dispositivos especiais, como o monofilamento e o diapasão, podem ajudar a determinar se há danos nos nervos, assim como sua extensão.

Tratamentos para Neuropatia Diabética – Controle dos Sintomas

Nem todas as pessoas com neuropatia diabética sentem dor. Contudo, a dor neuropática, quando presente, pode ser difícil de controlar, tende a piorar à noite, influenciando gravemente a qualidade do sono.

Existem diversos medicamentos que podem ser utilizados no tratamento da dor na neuropatia diabética. Entre eles, estão a gabapentina, a duloxetina, a pregabalina e os antidepressivos tricíclicos e muitos outros. O seu médico neurologista de confiança pode indicar o fármaco mais indicado para o seu caso.

Quando houver úlceras nos pés, estas devem ser verificadas por um profissional de saúde pelo menos uma vez por semana. É extremamente importante a limpeza da úlcera e a aplicação de um curativo limpo duas vezes ao dia. Se houver infecção, medicamentos antibióticos são prescritos.

Diversos tratamentos para neuropatia diabética e suas complicações estão sendo desenvolvidos. Estas novas terapêuticas incluem curativos sintéticos, pele cultivada em laboratório, substâncias que estimulam a cicatrização e melhoram a função do sistema imunológico.

As complicações na neuropatia diabética são um risco sempre presente. Contudo, é possível manter os pés saudáveis, por meio dos cuidados apresentados aqui. Os exames médicos de rotina também são extremamente importantes para a prevenção de qualquer problema.


Compartilhe
2018-09-28T14:35:44+00:00 quarta-feira 3 de outubro 2018|Neurologia, Neuropatia Diabética|0 Comentários

Dúvidas e ou Sugestões?

Informações de Contato

R. Sampaio Viana, 253 - cj123 Paraíso São Paulo - CEP: SP 04004-000

Phone: 11 2638-3067 / 98977-2982

Web: Dr Diego de Castro