Neuropatia Diabética – Saiba Mais

/, Neurologia, Neuropatia Diabética/Neuropatia Diabética – Saiba Mais

Neuropatia Diabética – Saiba Mais

Compartilhe

Neuropatia é o termo médico que se dá a lesão nos nervos periféricos. Estima-se que até 26% das pessoas que sofrem de diabetes tipo 2 apresentam neuropatia diabética no momento em que a doença é diagnosticada. Trata-se de uma complicação frequente tanto no diabetes tipo 2 quanto no tipo 1.

Neste artigo, veja mais informações sobre o acometimento dos nervos periféricos pela diabetes, condição também chamada polineuropatia diabética, seus sintomas e tratamento.

A Neuropatia Diabética

Existem diversos tipos de acometimento dos nervos periféricos pela diabetes.  O padrão mais comum é um tipo generalizado denominado polineuropatia. Os sintomas da condição incluem dor e queimação nos pés, assim como perda de sensibilidade.

Existem diferentes vertentes de tratamento disponíveis para a neuropatia diabética. O diagnóstico precoce do diabetes aliado a um controle rígido dos níveis de açúcar no sangue podem reduzir potencialmente o risco do paciente de desenvolver a neuropatia decorrente da doença.

Sinais e Sintomas da Neuropatia Diabética

Os sintomas mais comuns da neuropatia diabética incluem dor, queimação, dormência e/ou formigamento nos dedos dos pés, nos pés e pernas, assim como uma sensibilidade extrema ao toque. Alguns pacientes podem apresentar perda de força, desequilíbrio ou dificuldade de coordenação.

Os primeiros sintomas manifestam-se geralmente nas plantas e nos dedos dos pés e, de acordo com a progressão da doença, os sintomas podem gradualmente subir às pernas, coxas e às mãos.

Geralmente, a doença afeta ambos os lados do corpo de maneira semelhante.  até o momento em que o paciente perde sua capacidade de sentir dor, fator que eleva muito o risco de lesão nos nervos.

A neuropatia diabética pode evoluir de uma situação de dor em queimação nas pernas para um estado de perda de sensibilidade. Quando o paciente perde sua capacidade de sentir dor e/ou de sentir temperaturas quentes ou frias, seu risco de ferir os próprios pés aumenta. O paciente que sofre de neuropatia não nota uma unha encravada ou uma bolha no pé, por exemplo, uma vez que já não sente mais os sintomas.

Nesses casos, o indivíduo deve inspecionar seus pés diariamente, a fim de evitar que um pequeno machucado ou lesão evolua a ponto de se tornar uma grande úlcera. Esse tipo de ferimento pode ocasionar a necessidade de amputação de um dedo do pé ou até mesmo a amputação do próprio pé, em casos mais graves.

Fatores de Risco

No caso de pessoas inseridas nos grupos de diabetes tipo 1 e 2, os altos níveis de açúcar no sangue e por tempo prolongado configuram o maior fator de risco para o desenvolvimento da neuropatia diabética.

Existem ainda outros fatores de risco para o desenvolvimento da doença nos nervos provocada pelo diabetes, que incluem:

  • Níveis elevados de triglicérides;
  • Tabagismo;
  • Hipertensão;
  • Sobrepeso;
  • Doença da artéria coronária
  • Doença da tireoide (hipotireoidismo)
  • Doença renal crônica

Diagnóstico

O diagnóstico da neuropatia diabética baseia-se em uma história médica e no exame físico do paciente com diabetes. Durante o exame, os indicativos de lesão nervosa incluem:

  • Perda ou diminuição da capacidade de sentir vibração e movimento dos dedos e/ou dos pés;
  • Perda ou diminuição da capacidade de sentir dor, temperatura ou toque nos dedos ou pés;
  • Diminuição da força dos dedos dos pés ou atrofia da musculatura dos membros inferiores.

Diante dessas alterações, o médico pode considerar solicitar um exame de para confirmar o diagnóstico denominado eletroneuromiografia. Esse exame pode auxiliar:

  • Classificar a gravidade do quadro de neuropatia,
  • Servir como parâmetro de evolução do quadro ao longo do tempo
  • Permitir identificar outros fatores ou doenças que possam ser confundidos com a polineuropatia.  

Tratamento

Embora não exista cura para a neuropatia diabética, há tratamentos disponíveis capazes de aliviar as dores e prevenir complicações.

As três vertentes principais do tratamento de neuropatia diabética são: controle rígido dos níveis de açúcar no sangue, controle dos sintomas dolorosos provocados pela neuropatia e cuidados constantes com os pés, para evitar maiores complicações.

Em teoria, qualquer médico está apto a realizar o diagnóstico e tratamento da neuropatia diabética. No entanto, casos de difícil controle ou casos de diagnóstico duvidoso devem ser avaliados pelo médico neurologista. Caso você seja um desses pacientes estamos a disposição para uma consulta.


Compartilhe

Dúvidas e ou Sugestões?

Informações de Contato

R. Sampaio Viana, 253 - cj123 Paraíso São Paulo - CEP: SP 04004-000

Phone: 11 2638-3067 / 98977-2982

Web: Dr Diego de Castro