São Paulo: (11) 3504-4304 | Vitória: (27) 99707-3433 - (27) 99886-7489

Alucinações Auditivas na Esquizofrenia

Dr Diego de Castro
26/06/2024
Compartilhe

Segundo a Cleveland Clinic, alucinações auditivas (ouvir vozes) são comuns entre aqueles que vivem com esquizofrenia e outras doenças mentais, como transtorno bipolar, transtorno de personalidade borderline, transtorno depressivo maior, transtorno de estresse pós-traumático e transtorno esquizoafetivo.

Mesmo entre a população em geral, até 10% já experimentaram ouvir seus nomes chamados, especialmente ao adormecer ou acordar.

Neste artigo, Dr Diego de Castro, Neurologista e Neurofisiologista pela USP, explica sobre os tipos de alucinações auditivas experimentadas na esquizofrenia, tratamentos comuns, maneiras de ajudar e táticas de enfrentamento eficazes.

Tipos de Alucinações Auditivas na Esquizofrenia

De acordo com artigo publicado na Frontiers in Human Neuroscience, pessoas com esquizofrenia ouvem uma variedade de ruídos e vozes, que muitas vezes ficam mais altos, mesquinhos e persuasivos com o tempo.

As alucinações auditivas podem ser:

  • Vozes sem sentido - vozes que podem ordenar que você faça coisas completamente sem sentido, como pegar um copo de água e despejá-lo sobre sua cabeça. Devido à sua qualidade repetitiva, incessante e irritante, as vozes podem deixar as pessoas profundamente distraídas e sobrecarregadas a ponto de escolher obedecer.
  • Vozes de automutilação - ordens para prejudicar a si mesmo ou aos outros. Esse tipo de alucinação auditiva pode ser extremamente assustadora, com ordens que tendem a ser gritadas sem parar.
  • Vozes ameaçadoras - vozes persuasivas e repetitivas de uma organização secreta, por exemplo, que ameaçam de morte ou dano. Mais uma vez, essas vozes são assustadoras e aumentam o risco de automutilação ou violência.

Outras formas de alucinações auditivas incluem:

  • Sons repetitivos e estridentes sugestivos de animais
  • Música dolorosamente alta
  • Vozes de pessoas sussurrando ou gritando com ordens ou comentários
  • Pessoas falando de você como se você não estivesse presente.
alucinações auditivas

O que Pode Causar Alucinações Auditivas

Artigo publicado na StatPearls explica que as alucinações auditivas são frequentemente associadas à esquizofrenia e outras condições de saúde mental, mas podem acontecer por vários outros motivos, como perda auditiva, e nem sempre são um sinal de uma condição de saúde mental.

Se você experimenta alucinações auditivas no momento em que está adormecendo ou acordando, é considerado normal e geralmente não é motivo de preocupação. Até 70% das pessoas experimentam esses tipos de alucinações pelo menos uma vez.

Se você sentir alucinações auditivas enquanto estiver acordado, pode ser – mas nem sempre é – um sintoma de uma condição neurológica ou de saúde mental. Aproximadamente 75% das pessoas com esquizofrenia, por exemplo, experimentam alucinações auditivas.

Entre as condições neurológicas que podem causar alucinações auditivas, podemos destacar:

  • Distúrbios do sono, como narcolepsia e insônia
  • Doença de Parkinson
  • AVC
  • Enxaqueca
  • Tumores cerebrais ou lesões no lobo temporal, tronco cerebral ou tálamo.

Além disso, outras condições e situações – geralmente temporárias – podem causar alucinações auditivas, incluindo:

  • Uso de álcool e drogas recreativas
  • Falta de sono
  • Fome extrema
  • Certos medicamentos prescritos (como efeito colateral)
  • Estresse ou luto extremos
  • Infecções, como ITUs, especialmente em pessoas mais velhas
  • Recuperação da anestesia após uma cirurgia ou procedimento.

Como Tratar as Alucinações Auditivas na Esquizofrenia

Conforme artigo publicado na Psychiatry Research, as alucinações auditivas geralmente param assim que a condição que a estiver causando tenha sido tratada ou resolvida. No caso das alucinações auditivas na esquizofrenia, utilizamos uma combinação de medicamentos, terapia e outros elementos.

  • Medicação: Os medicamentos antipsicóticos são frequentemente a primeira linha de tratamento para a esquizofrenia e comprovadamente diminuem rapidamente a gravidade das alucinações auditivas.
  • Terapia cognitivo-comportamental (TCC): Quando usada em combinação com a medicação, a TCC pode ajudar a reduzir o sofrimento emocional de ouvir vozes e ajudar as pessoas a desenvolver habilidades para lidar e acalmar as vozes.
  • Estimulação magnética transcraniana repetitiva (EMTr): Também conhecida como EMT, este procedimento relativamente não invasivo envolve a colocação de uma bobina sobre o crânio que envia pulsos magnéticos a uma região alvo no cérebro. Estudos estão demonstrando sua capacidade em reduzir a frequência e gravidade das alucinações auditivas em pessoas com esquizofrenia.
  • Eletroconvulsoterapia (ECT): Considerada um tratamento de último recurso para reduzir a gravidade das alucinações auditivas, a ECT envolve a aplicação de um breve pulso elétrico no couro cabeludo para produzir uma convulsão.

Os antipsicóticos são a escolha preferida, mas a terapia cognitivo-comportamental, a estimulação magnética transcraniana repetitiva ou a eletroconvulsoterapia podem ser úteis em alguns casos.

Como Posso Reduzir as Alucinações Auditivas?

Embora as alucinações auditivas muitas vezes respondam ao tratamento, uma pessoa pode continuar a ouvir vozes apesar do tratamento.

Os mecanismos de enfrentamento que as pessoas geralmente tentam incluem tentar abafar as alucinações ouvindo música alta, gritar de volta para as vozes ou se concentrar nas vozes. Pesquisas sugerem que essas táticas são ineficazes.

De acordo com artigo publicado no BJPsych Advances, técnicas eficazes de distração que podem ajudar as pessoas a lidar com a audição de vozes incluem:

  • Ouvir periodicamente música lírica, harmônica e lenta em um volume baixo
  • Tocar um instrumento
  • Passar tempo com um animal de estimação
  • Assistir a programas de TV não angustiantes e prestar atenção nas vozes dos artistas
  • Fazer arte, que pode ajudar a induzir um estado de fluxo
  • Cozinhar ou experimentar outro hobby que possa lhe distrair
  • Ler em silêncio ou em voz alta (ou alternar entre os dois).

Você também pode ajudar a reduzir a frequência das suas alucinações auditivas, se você fizer o seguinte:

  • Ter um sono de qualidade suficiente
  • Seguir um horário de sono regular
  • Praticar exercícios físicos
  • Evitar ingerir álcool, certas drogas e medicamentos.

É importante que as pessoas que experimentam alucinações auditivas conversem sobre elas com sua família e equipe de saúde, especialmente se estiverem causando angústia. Lembre-se de que as alucinações auditivas causadas por uma condição de saúde mental geralmente são controláveis com tratamento e podem se tornar perturbadoras ou perigosas se não forem tratadas.

Discuta todos os sintomas possíveis com seu médico, não importa o quão menores ou bizarros você possa pensar que são. Alucinações podem fazer você se sentir nervoso, paranoico e assustado, por isso é importante estar com alguém em quem você possa confiar e conversar com ele.

Quer continuar aprendendo? Leia nossos outros artigos relacionados:

Dr Diego de Castro Neurologista e Neurofisiologista

Dr Diego de Castro é Neurologista pela USP especialista em Distúrbios do Movimento e Neurogenética.

Informações de contato: Rua Itapeva, 518 - sala 901 - Bela Vista, São Paulo - SP, 01332-904

Telefone: (11) 3504-4304

Especialidades Neurológicas – Eletroneuromiografia

Avenida Americo Buaiz, 501 – Victória Office Tower – Torre Leste – Enseada do Suá, Vitória – ES, 29050-911, próximo ao Shopping Vitória.

Telefone: (27) 99707-3433

Posts Relacionados:

Compartilhe
Posts mais Populares
Acompanhe nosso Podcast!
Escute nossos conteúdos em áudio, na sua plataforma preferida:
Assine nossa Newsletter!

Assine nossa newsletter e receba em seu e-mail todos os nossos novos artigos.

Dr Diego de Castro dos Santos
Neurologia - Dr Diego de Castro
Dr Diego de Castro dos Santos é Neurologista pela USP e responsável pelo Serviço de Especialidades Neurológicas – Eletroneuromiografia. Atua como neurologista em Vitória Espírito Santo ES e em São Paulo no tratamento de Dor de Cabeça, Depressão, Doença de Parkinson, Miastenia gravis e outras doenças. Também se dedica a reabilitação de pacientes com AVC, distonias e crianças com paralisia cerebral, por meio de aplicação de toxina botulínica (Botox) e neuromodulação.
Dúvidas? Sugestões?

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


DR DIEGO DE CASTRO

Dr. Diego de Castro dos Santos
Neurofisiologia clínica - RQE 74154
Neurologia - RQE 74153
Diretor Clínico Autor e Responsável Técnico pelo Site – Mantenedor.

Missão do Site: Prover Soluções cada vez mais completas de forma facilitada para a gestão da saúde e o bem-estar das pessoas, com excelência, humanidade e sustentabilidade. Destinado ao público em geral.
NEUROLOGISTA EM SÃO PAULO – SP
CRM-SP 160074

R. Itapeva, 518 - sala 901
Bela Vista - São Paulo - SP 
CEP: 01332-904

Telefones:
(11) 3504-4304
(11) 98758-7663

NEUROLOGISTA VITÓRIA – ES
CRM-ES 11.111

Av. Américo Buaiz, 501 – Sala 109
Ed. Victória Office Tower Leste, Enseada do Suá, Vitória – ES, CEP: 29050-911

Telefones:
(27) 99707-3433
(27) 99886-7489

Utilizamos ferramentas e serviços de terceiros que utilizam cookies. Ao continuar navegando em nosso site, você concorda com o uso de cookies. Leia nossa política de privacidade/cookies para saber mais informações.
magnifier
× Como posso ajudar?
linkedin facebook pinterest youtube rss twitter instagram facebook-blank rss-blank linkedin-blank pinterest youtube twitter instagram