São Paulo: (11) 98758-7663 - (11) 3262-4745 | Vitória: (27) 99707-3433 - (27) 99886-7489

Tratamento da Depressão em Vitória ES

Dr. Diego de Castro dos Santos18/12/2019
Compartilhe

A Depressão está entre os transtornos mentais mais comuns e atinge 268 milhões de pessoas no mundo. Entre 80% e 90% das pessoas com depressão respondem bem ao tratamento. Quase todos os pacientes obtêm algum alívio de seus sintomas.

Se não for tratada, entretanto, a depressão pode ser devastadora para quem apresenta a condição e sua família. Felizmente, com o diagnóstico precoce e um plano de tratamento composto por psicoterapia, medicamentos, estilo de vida saudável e estimulação cerebral (estimulação magnética transcraniana), muitas pessoas podem melhorar consideravelmente.

Neste artigo, Dr Diego de Castro Neurologista e Neurofisiologista pela USP, explica sobre a importância de buscar tratamento para a depressão e as terapias utilizadas.

A Importância de Procurar Tratamento para Depressão

Algumas pessoas acreditam erroneamente que a depressão desaparece por si mesma, que elas devem "encontrar sozinhas uma forma de sair dessa", que são velhas demais para obter ajuda ou que, se pedirem ajuda, são fracas. Não é verdade! O estigma e o preconceito atrapalham e atrasam o tratamento. Depressão não é frescura e ninguém escolhe ficar depressivo.

Depois que a depressão é diagnosticada e tratada, as pessoas geralmente se sentem muito melhor. Mesmo aquelas que estão seriamente deprimidas podem melhorar bastante com o tratamento.

voltar ao menu

Como é Realizado o Tratamento da Depressão

Os tipos mais comuns de tratamento para a depressão são tratamentos psicológicos, medicamentos antidepressivos  e atualmente a terapia de estimulação cerebral (Estimulação Magnética Transcraniana).

Tratamentos Psicológicos

Os tratamentos psicológicos podem ajudá-lo a mudar seus padrões de pensamento e melhorar suas habilidades de enfrentamento, para lidar com os estresses e conflitos da vida. As terapias psicológicas ajudam muito a identificar e alterar pensamentos negativos e comportamentos depreciativos.

Existem vários tipos de tratamentos psicológicos eficazes para a depressão. Algumas pessoas preferem trabalhar individualmente com um profissional, enquanto outras tiram mais proveito de um ambiente de grupo.

A Terapia Cognitivo-Comportamental (TCC) é o tratamento psicológico para depressão com maior número de estudos científicos . Esta técnica envolve trabalhar com um profissional (terapeuta) para identificar padrões de pensamento e comportamento que estão aumentando a probabilidade de você ficar deprimido ou impedindo que você melhore quando estiver com depressão.

Ela trabalha para mudar seus pensamentos e comportamento, ensinando-o a pensar racionalmente sobre dificuldades comuns, ajudando-o a mudar padrões e reações de pensamentos negativos ou indesejáveis para uma abordagem mais realista, positiva e de resolução de problemas.

Uma das vantagens do aprendizado trazido com a Terapia Cognitivo-Comportamental é a diminuição de recorrência do evento, ajudando você a se tornar mais resiliente aos desafios da vida. Observe que embora a TCC seja a técnica com mais estudos todas as abordagens psicológicas são benéficas no tratamento da depressão. O que varia é a capacidade de cada paciente de se dedicar a técnica empregada.

Medicamentos Antidepressivos

Conforme explicamos no artigo "Causas da Depressão", existe uma alteração importante dos neurotransmissores no cérebro dos depressivos. De fato, a química do cérebro contribui para surgimento de depressão nos indivíduos. Por esse motivo, antidepressivos são prescritos para ajudar a modificar a química do cérebro. Esses medicamentos não são sedativos, estimulantes nem tranquilizantes.

Há muita desinformação e preconceito sobre os medicamentos antidepressivos. Seu uso é seguro e muito útil no tratamento de depressão moderada a grave e em alguns distúrbios de ansiedade.

Existem várias categorias de antidepressivos, mas geralmente começamos o tratamento com uma classe de medicamentos chamados Inibidores Seletivos da Recaptação de Serotonina (ISRSs) e podemos tentar outros medicamentos se a condição do paciente não melhorar.

Os ISRSs têm como alvo aumentar a serotonina do cérebro, um dos neurotransmissores que estão envolvidos na depressão.

Efeitos

Os medicamentos antidepressivos levam tempo - geralmente de 2 a 4 semanas - para começarem a fazer efeito, e geralmente sintomas como apetite, problemas de concentração e sono melhoram antes que as pessoas percebam mudanças de humor. Os benefícios completos são melhor percebidos por dois a três meses.

Se um paciente sentir pouca ou nenhuma melhora após várias semanas, seu médico pode alterar a dose do medicamento, adicionar ou substituir por outro antidepressivo. Em algumas situações, a associação de outros medicamentos podem ser úteis. É importante informar o seu médico se um medicamento não funcionar ou se você tiver efeitos colaterais.

Geralmente, recomendamos que o paciente continue a tomar medicação por seis ou mais meses após a melhora dos sintomas. Pode ser sugerido um tratamento de manutenção a longo prazo para diminuir o risco de episódios futuros para certas pessoas com alto risco.

Efeitos Colaterais

Muitas pessoas que tomam antidepressivos sentem efeitos colaterais antes de perceber uma melhora no humor. Isso pode ser desanimador, mas é importante manter em mente que os efeitos colaterais, na maioria das vezes, são transitórios e melhoram.

Dependendo de qual medicação é tomada, os efeitos colaterais comuns podem incluir náusea, dor de cabeça, ansiedade, sudorese, tontura, agitação, ganho de peso, boca seca e dificuldades sexuais.

Os efeitos colaterais geralmente desaparecem dentro de algumas semanas e, enquanto isso, podem ser gerenciados com algumas medidas simples. Se você tiver efeitos colaterais, continue a tomar seus medicamentos conforme as instruções, mas consulte seu médico. Se os efeitos colaterais forem muito negativos, ele poderá ajustar a dosagem ou mudar para outro antidepressivo.

Estimulação Magnética Transcraniana (EMT)

Para pacientes com depressão moderada a grave que não responderam bem ao tratamento com medicamentos e psicoterapia, ou apresentaram muitos efeitos colaterais, a Estimulação Magnética Transcraniana está indicada. O procedimento envolve o aplicação de breves pulsos magnéticos no couro cabeludo para estimular as células nervosas do cérebro que estão envolvidas na regulação do humor e na depressão.

A Food and Drug Administration (FDA) aprovou o uso da EMT como tratamento para a depressão maior em 2008. Esse uso é preferível àqueles pacientes que tentaram pelo menos um medicamento antidepressivo sem obter o efeito desejado.

Uma sessão é geralmente administrada por um médico neurologista ou psiquiatra. Não requer anestesia e dura entre 20 a 30 minutos, em um curso típico de 4 a 6 semanas. No entanto, isso pode variar dependendo da resposta individual ao tratamento.

Os riscos da EMT são relativamente baixos porque o procedimento não é invasivo - não requer anestesia ou implantação de eletrodos. O tratamento pode ocorrer em um consultório médico e os pacientes podem voltar para casa após o procedimento. Os efeitos colaterais do tratamento podem incluir espasmos faciais ou formigamento, tontura, dores de cabeça e desconforto no couro cabeludo, onde a estimulação é aplicada.

voltar ao menu

Tratamento da Depressão

Outros Tratamentos

Terapia Eletroconvulsiva

Se você tem depressão severa e os medicamentos não funcionaram, a Terapia Eletroconvulsiva pode ser recomendada para você.

Neste tratamento, eletrodos são colocados na cabeça, para aplicar estímulos elétricos no cérebro. A Terapia Eletroconvulsiva é administrada em uma série de sessões, normalmente duas vezes por semana, durante três a seis semanas. Os pacientes realizam esse tratamento em hospital ou clínicas especializadas. O tratamento requer anestesia e é muito efetivo.

Lítio

Se você tentou vários antidepressivos diferentes e não teve melhora, seu médico pode prescrever um tipo de medicamento chamado lítio, além do tratamento atual. O Lítio geralmente é utilizado para pacientes com transtorno bipolar e ajuda na estabilização do humor.

Uma pessoa que faz este tipo de tratamento precisará de exames de sangue a cada três meses para verificar seus níveis de lítio, já que altos níveis dessa substância pode ser tóxico.

Autocuidado

É muito importante que todas as pessoas deprimidas participem de sua recuperação, seguindo seus esquemas de tratamento, indo a consultas médicas e / ou terapêuticas e cuidando bem de si mesmas.

Se você deu o primeiro passo e conversou sobre as opções de tratamento com um profissional de saúde, tente algumas das seguintes recomendações:

  • Manter um Estilo de Vida Saudável - Ficar bem é encontrar um equilíbrio que funcione para você, mas existem alguns princípios gerais que podem ser úteis:
    • comer uma dieta saudável e equilibrada;
    • praticar alguma forma de atividade física regular;
    • ter uma boa noite de sono;
    • reduzir o consumo de álcool.

Reduzir e gerenciar seus níveis de estresse, certificando-se de que você dedique tempo para fazer algo que distraia, relaxe, satisfaça ou desfrute todos os dias também pode ajudar. Você pode achar útil obter a ajuda de um amigo ou membro da família para ajudá-lo a permanecer ativo.

  • Praticar Relaxamento - O treinamento de relaxamento acalma o corpo e a mente, o que, por sua vez, ajuda a reduzir a ansiedade, geralmente associada à depressão, assim como pensamentos e comportamentos depressivos.

Instruções gravadas estão disponíveis on-line ou podem ser encontradas em vários aplicativos que se concentram no relaxamento e na atenção plena - pesquise na Apple Store ou no Google Play e veja o que funciona para você.

  • Contato com Família e Amigos
  1. As pessoas próximas a você podem desempenhar um papel importante em sua recuperação, fornecendo suporte, compreensão e ajuda, ou apenas estando lá para ouvir.
  2. Se você não gosta de conversar e interagir, tente uma atividade em que não precise conversar, como assistir a um filme ou praticar esportes.
  3. Também pode ser útil informar à família e aos amigos o que você está passando, para que eles saibam. Isso pode ajudá-los a apoiá-lo melhor.

Terapias Alternativas

Há várias abordagens não médicas ou alternativas que podem complementar seu tratamento. Entre as abordagens disponíveis estão acupuntura, técnicas de meditação como a atenção plena e musicoterapia.

O importante é encontrar o tratamento certo para você. Só porque se demonstrou que um tratamento funciona cientificamente, isso não significa que funcionará igualmente bem para todos os indivíduos. Algumas pessoas terão complicações, efeitos colaterais ou acham que o tratamento não se encaixa no seu estilo de vida. Pode levar tempo e paciência para encontrar um tratamento que funcione.

voltar ao menu

Seguindo sua Vida após o Tratamento da Depressão

Algumas pessoas experimentam apenas um episódio depressivo na vida, mas para a maioria, o transtorno depressivo se repete ou perdura por vários anos.

Por este motivo, a interrupção da medicação antidepressiva deve ser feita apenas gradualmente, sob recomendação do médico.

Os antidepressivos não causam dependência da mesma maneira que as drogas, mas quando você para de tomá-los, pode ter alguns sintomas, incluindo:

  • dor de estômago;
  • sintomas como os da gripe;
  • ansiedade;
  • tontura;
  • sonhos vívidos à noite.

Na maioria dos casos, são bastante leves e duram não mais que uma semana ou duas, mas quando os medicamentos são retirados de maneira abrupta, podem ser bastante graves.

É importante lembrar que a recuperação pode levar tempo e, assim como não há duas pessoas iguais, as recuperações também não são. Seja paciente e não desista.

Se você vem enfrentando sintomas de depressão, saiba que com os tratamentos explicados neste artigo você pode reconquistar sua qualidade de vida. Uma avaliação neurológica pode ajudar no diagnóstico adequado, buscando identificar se existe alguma causa neurológica para os sintomas e indicando as possibilidades para o melhor tratamento do seu caso.

Veja abaixo nossas informações para agendamento de consultas:

Dr Diego de Castro Neurologista e Neurofisiologista

Endereço: Rua Itapeva, 518 – sala 901 – Bela Vista, São Paulo – SP, 01332-904

Telefones: (11) 3262-4745 e (11) 98758-7663

Dr Diego de Castro - Neurologista em Vitória ES Tratamento da Depressão

Avenida Americo Buaiz, 501 – Victória Office Tower – Torre Leste – Enseada do Suá, Vitória – ES, 29050-911, próximo ao Shopping Vitória.

Telefone: (27) 99707-3433

Posts Relacionados:


Compartilhe

Posts mais Populares

Assine nossa Newsletter!

Assine nossa newsletter e receba em seu e-mail todos os nossos novos artigos.

Dr Diego de Castro dos Santos
Dr Diego de Castro Neurologista
Dr Diego de Castro dos Santos é Neurologista pela USP e responsável pelo Serviço de Especialidades Neurológicas – Eletroneuromiografia. Atua como neurologista em Vitória Espírito Santo ES e em São Paulo no tratamento de Dor de Cabeça, Depressão, Doença de Parkinson, Miastenia gravis e outras doenças. Também se dedica a reabilitação de pacientes com AVC, distonias e crianças com paralisia cerebral, por meio de aplicação de toxina botulínica (Botox) e neuromodulação.
Dúvidas? Sugestões?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

DR DIEGO DE CASTRO

Dr. Diego de Castro dos Santos
Neurofisiologia clínica - RQE 74154
Neurologia - RQE 74153
Diretor Clínico Autor e Responsável Técnico pelo Site – Mantenedor.

Missão do Site: Prover Soluções cada vez mais completas de forma facilitada para a gestão da saúde e o bem-estar das pessoas, com excelência, humanidade e sustentabilidade. Destinado ao público em geral.
NEUROLOGISTA EM SÃO PAULO – SP
CRM-SP 160074

R. Itapeva, 518 - sala 901
Bela Vista - São Paulo - SP 
CEP: 01332-904

Telefones:
(11) 3262-4745
(11) 98758-7663

NEUROLOGISTA VITÓRIA – ES
CRM-ES 11.111

Av. Américo Buaiz, 501 – Sala 109
Ed. Victória Office Tower Leste, Enseada do Suá, Vitória – ES, CEP: 29050-911

Telefones:
(27) 99707-3433
(27) 99886-7489

magnifier linkedin facebook pinterest youtube rss twitter instagram facebook-blank rss-blank linkedin-blank pinterest youtube twitter instagram