São Paulo: (11) 98758-7663 - (11) 3504-4304 | Vitória: (27) 99707-3433 - (27) 99886-7489

Parkinson é Genético?

Dr Diego de Castro
09/03/2022
Compartilhe

A dúvida "Parkinson é Genético?" é muito comum em nossa prática clínica, tanto em familiares de nossos pacientes com a doença de Parkinson (que gostariam de saber das possibilidades de herdar a doença e formas de prevenir seu aparecimento), quanto em pacientes que têm o receio de transmitir a doença a seus filhos.

Segundo The Johns Hopkins University, cerca de 15% das pessoas com Parkinson tem histórico familiar da doença, e casos ligados à família podem resultar de mutações genéticas em um grupo de genes que já foram identificados.

Neste artigo, Dr Diego de Castro, Neurologista e Neurofisiologista pela USP, explica sobre o que já temos de respostas para a pergunta "Parkinson é Genético?".

Parkinson é Genético? - Compreendendo os Fatores Genéticos do Parkinson

Como abordamos mais detalhadamente em nosso artigo: "Causas da Doença de Parkinson", ainda não sabemos com precisão quais são os fatores que podem levar ao desenvolvimento da doença. No entanto, uma combinação de fatores genéticos e ambientais pode aumentar a predisposição a desenvolver Parkinson.

A Parkinson's Foundation explica que algumas mutações genéticas parecem perturbar o maquinário celular que degrada proteínas indesejadas nos neurônios. E, no caso do Parkinson, os neurônios produtores de dopamina. Como resultado, proteínas não degradadas se acumulam, levando ao comprometimento ou morte dessas células.

Outras mutações podem afetar a função das mitocôndrias, as estruturas produtoras de energia dentro das células. Um tipo de subproduto da produção de energia nas mitocôndrias são moléculas instáveis chamadas radicais livres, que podem danificar as células. Existe um mecanismo para neutralizar os efeitos dos radicais livres antes de causar danos, mas mutações podem interromper esse processo. Como resultado, os radicais livres podem se acumular e prejudicar os neurônios.

Compreendendo o Conceito de Genética

Segundo a Mayo Clinic, Genética é a área da Ciência que estuda a estrutura e função dos genes, a variação deles nos seres vivos e a hereditariedade, ou seja, os mecanismos de transmissão das características através das gerações.

Nosso corpo é composto por trilhões de células. Cada célula tem uma estrutura central (núcleo) que contém cromossomos (emaranhados de filamentos de DNA).

Os genes são segmentos de DNA. Eles funcionam como um código para a formação de proteínas. Todos nós temos duas cópias de aproximadamente 23.000 genes. Juntos, esses genes (nosso 'genoma') agem como um projeto que determina nossas características individuais.

Recebemos metade de nossos genes de nossa mãe e metade de nosso pai.

Às vezes, um gene acaba desenvolvendo uma 'variante' ou 'mutação'. Nesse caso, a proteína que é produzida por aquele gene pode apresentar problemas em seu funcionamento. Algumas variantes são benignas - não estão associadas a problemas de saúde. Outras variantes estão associadas a uma condição de saúde.

Esses genes anormais (mutações genéticas) podem ser herdados ou adquiridos (desenvolvidos ao longo da vida, devido a fatores ambientais ou de estilo de vida).

Genes Relacionados ao Parkinson

Ao longo dos anos, cientistas estudaram o DNA de pessoas com Parkinson e descobriram dezenas de mutações genéticas ligadas à doença. Esses genes estão sendo estudados para identificarmos qual é o papel que eles desempenham no desenvolvimento de Parkinson.

Já foram identificados diversos genes que contribuem para o desenvolvimento de Parkinson. E, como as pesquisas continuam a ser realizadas, pode haver muito mais genes que serão descobertos. Conforme artigo publicado na Genes, estes são alguns dos principais genes já descobertos:

  • Glucocerebrosidase (GBA)
  • LRRK2
  • PARK7
  • SNCA
  • PRKN
  • PINK1

Mas é importante compreender que, mesmo quando alguém tem uma mutação genética associada ao Parkinson, a probabilidade de desenvolver a doença é baixa.

Compreendendo a Hereditariedade da Doença de Parkinson

Segundo a National Library of Medicine, doenças hereditárias são aquelas passadas de pais para seus filhos através dos genes. Uma doença genética pode ser hereditária, mas nem sempre. Algumas doenças genéticas são causadas por mutações aleatórias que não são herdadas dos pais.

A maioria dos casos de Parkinson não está relacionada a fatores hereditários. Mas ter um histórico familiar da doença de Parkinson pode aumentar o risco de que uma pessoa desenvolva a doença. Isso é mais frequente em pessoas com Parkinson precoce.

Entre os casos familiares de Doença de Parkinson, o padrão de herança é diferente, de acordo com o gene que é alterado. Por exemplo:

  • Se o gene LRRK2 ou SNCA estiver envolvido, a doença é herdada em um padrão autossômico dominante. Isso significa que apenas ter o gene do pai ou da mãe já é suficiente para causar a doença.
  • Se o gene PARK7, PINK1 ou PRKN estiver envolvido, a doença é herdada em um padrão recessivo autossômico. Esse tipo de herança significa que tanto o pai quanto a mãe carregam genes alterados, mesmo que não mostrem sinais e sintomas da doença.

Diferentes mutações podem ser encontradas mais frequentemente em diferentes populações étnicas. Por exemplo, judeus ashkenazi e berberes norte-africanos têm um risco aumentado de carregar mutações de LRRK2. A frequência de mutação GBA também varia muito com a etnia e também é aumentada entre os judeus ashkenazi.

Quando Realizar um Teste Genético para Parkinson

Quando Realizar um Teste Genético para Parkinson

Se você tem um membro da família com Parkinson, pode estar considerando a realização de testes genéticos. Apesar do fato de ter uma mutação genética não afirmar que você terá a doença, realizar um teste genético pode ajudar a planejar possíveis opções de gerenciamento do risco.

No entanto, antes de se submeter a testes genéticos, a American Parkinson Disease Association recomenda, inicialmente, buscar a orientação de um conselheiro genético que pode explicar em detalhes o que o teste pode ou não lhe dizer, ou mesmo o que você pode (ou não) fazer com os resultados.

Até o momento, ainda não sabemos se a doença de Parkinson associada a determinadas mutações genéticas tem características clínicas particulares (por exemplo, mais ou menos comprometimento cognitivo, tremor, etc). Além disso, a variabilidade nas características clínicas acontece mesmo entre pessoas com a mesma mutação.

Por este motivo, até o momento, não há uma diferença no tratamento, se o paciente possui ou não uma das mutações conhecidas. Isso pode mudar, no entanto, à medida que mais ensaios clínicos que visam mutações particulares são realizados.

Dr Diego de Castro Neurologista

Dr Diego de Castro é Neurologista pela USP especializado em Parkinson, DBS e Neurogenética. Cuida de pacientes com diferentes tipos de distúrbios do movimento.

Disponibilizamos muitos outros conteúdos sobre a doença. Clique no link e leia nossos outros artigos:

Compartilhe este artigo! Siga-nos nas redes sociais!

Estamos disponíveis para cuidar de você nos endereços:

Avenida Américo Buaiz, 501 – Ed. Victória Office Tower Leste, Sala 109 - Enseada do Suá, Vitória - ES, 29050-911

Tel: (27) 99707-3433

R. Itapeva, 518 - sala 901 Bela Vista - São Paulo - SP, CEP: 01332-904

Telefones: (11) 3504-4304 e (11) 98758-7663

Posts Relacionados:


Compartilhe
Posts mais Populares
Acompanhe nosso Podcast!
Escute nossos conteúdos em áudio, na sua plataforma preferida:
Assine nossa Newsletter!

Assine nossa newsletter e receba em seu e-mail todos os nossos novos artigos.

Dr Diego de Castro dos Santos
Neurologia - Dr Diego de Castro
Dr Diego de Castro dos Santos é Neurologista pela USP e responsável pelo Serviço de Especialidades Neurológicas – Eletroneuromiografia. Atua como neurologista em Vitória Espírito Santo ES e em São Paulo no tratamento de Dor de Cabeça, Depressão, Doença de Parkinson, Miastenia gravis e outras doenças. Também se dedica a reabilitação de pacientes com AVC, distonias e crianças com paralisia cerebral, por meio de aplicação de toxina botulínica (Botox) e neuromodulação.
Dúvidas? Sugestões?

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

DR DIEGO DE CASTRO

Dr. Diego de Castro dos Santos
Neurofisiologia clínica - RQE 74154
Neurologia - RQE 74153
Diretor Clínico Autor e Responsável Técnico pelo Site – Mantenedor.

Missão do Site: Prover Soluções cada vez mais completas de forma facilitada para a gestão da saúde e o bem-estar das pessoas, com excelência, humanidade e sustentabilidade. Destinado ao público em geral.
NEUROLOGISTA EM SÃO PAULO – SP
CRM-SP 160074

R. Itapeva, 518 - sala 901
Bela Vista - São Paulo - SP 
CEP: 01332-904

Telefones:
(11) 3504-4304
(11) 98758-7663

NEUROLOGISTA VITÓRIA – ES
CRM-ES 11.111

Av. Américo Buaiz, 501 – Sala 109
Ed. Victória Office Tower Leste, Enseada do Suá, Vitória – ES, CEP: 29050-911

Telefones:
(27) 99707-3433
(27) 99886-7489

Utilizamos ferramentas e serviços de terceiros que utilizam cookies. Ao continuar navegando em nosso site, você concorda com o uso de cookies. Leia nossa política de privacidade/cookies para saber mais informações.
magnifier
× Como posso ajudar?
linkedin facebook pinterest youtube rss twitter instagram facebook-blank rss-blank linkedin-blank pinterest youtube twitter instagram