São Paulo: (11) 98758-7663 - (11) 3262-4745 | Vitória: (27) 99707-3433 - (27) 99886-7489

Cefaleia Tensional - Quais as Causas? Como Aliviar?

Dr. Diego de Castro dos Santos06/11/2019
Compartilhe

cefaleia tensional  (dor de cabeça do tipo tensional ou cefaleia por tensão muscular) é o tipo mais comum de dor de cabeça em adultos e é caracterizada por dor em aperto ou peso que envolve toda cabeça.

A cefaleia tensional é um dos tipos de cefaleia primária (grupo de cefaleias em que a dor de cabeça é a própria doença). A dor de cabeça é de leve a moderada intensidade e não se associa a náuseas, vômitos ou alterações visuais.

Além disso, a cefaleia tensional pode ser episódica (ocorrer ocasionalmente) ou crônica, sendo que neste caso as dores de cabeça são diárias.

Neste artigo, Dr Diego de Castro Neurologista e Neurofisiologista pela USP explica quais as causas da cefaleia tensional e como aliviar esse tipo de dor de cabeça.

O que é a Cefaleia Tensional?

A cefaleia tensional é uma dor de cabeça em peso ou aperto com duração de algumas horas e não associada a outros sintomas neurológicos. Segundo estudo do JAMA Neurology, ela pode acometer de 29-71% dos adultos e é mais comum de 40 a 49 anos.

Indivíduos com maior nível educacional e as mulheres são mais propensas a sentir dores de cabeça do que os homens. O estresse é um fator muito ligado a esse tipo de dor de cabeça.

A cefaleia tensional não é uma condição com risco de vida. No entanto, pode reduzir a produtividade no trabalho ou interferir na atividade social ou familiar e por isso deve ser tratada.

Em nosso artigo “Dor de Cabeça – Causas e Formas de Prevenção”, você pode compreender melhor a diferença entre dor de cabeça primária e secundária e outras dores de cabeça como a enxaqueca.

Qual a causa da Cefaleia Tensional?

A causa exata da cefaleia tensional não é totalmente esclarecida. Sabemos que ela é resultado de fatores ambientais e de uma resposta anormal do organismo.

Segundo o NHS, os fatores que possivelmente causam a cefaleia tensional são:

  • História familiar de dor de cabeça;
  • Fadiga;
  • Pressão no trabalho;
  • Estresse;
  • Tensão mental;
  • Consumo de Álcool;
  • Mudanças climáticas;
  • Menstruação (mulheres);
  • Comportamento sedentário;
  • Distúrbios do sono.

As dores de cabeça do tipo tensão são causadas por uma resposta ao estresse, ansiedade, depressão e conflito. Esse fatores desencadeiam um aumento da tensão muscular e do óxido nítrico produzindo uma resposta de dor.

Sintomas

Segundo a Mayo Clinic, os sintomas da cefaleia tensional incluem:

  • Dor de cabeça como uma "pressão, peso ou aperto"
  • Sensação de uma “dorzinha de cabeça leve e chata
  • A dor se estende dos dois lado da testa, cabeça e pode envolver a região cervical
  • Sensação de “pontos musculares mais tensos” e dolorosos no pescoço
  • A dor pode irradiar para os ombros e escápulas
  • Sintomas de depressão, ansiedade e esgotamento mental também são comuns

Diagnóstico da Cefaleia Tensional

O diagnóstico da Cefaleia Tensional é baseado nas orientações da Sociedade Internacional de Cefaleia (International Headache Society). O neurologista utilizará para o diagnóstico:

  • As características da dor (principalmente na época em que a dor surgiu)
  • O exame neurológico
  • Algum exame de imagem para afastar a possibilidade de outras doenças

Os exames de imagem (tomografia e ressonância) são solicitados de acordo com a história de cada paciente. Nos pacientes com cefaleia por tensão esses exames de imagem encontram-se normais.

Ocasionalmente exames laboratoriais são solicitados para avaliação da saúde em geral.

Critérios Diagnósticos

Os critérios de diagnóstico da International Headache Society incluem:

  • Dores de cabeça que preenchem pelo menos dois dos seguintes critérios de dor:
    • Dor não pulsante, do tipo peso ou aperto;
    • Dor de intensidade leve ou moderada que não inibe a atividade diária;
    • Dor bilateral (em ambos os lados da cabeça);
    • A dor não é agravada pela atividade física de rotina;
  • Dores de cabeça que duram de 30 minutos a 7 dias;
  • Pelo menos 10 episódios de dores de cabeça em menos de 15 dias por mês (Indivíduos que experimentam dores de cabeça mais frequentes devem receber um diagnóstico de dor de cabeça diária crônica);
  • Além disso, suas dores de cabeça não devem estar associadas a:
    • Náusea ou vômito;
    • Fonofobia (sensibilidade ao som) e fotofobia (sensibilidade à luz);
  • Não são atribuíveis a outras doenças.

Exame Neurológico

O exame neurológico é uma etapa crucial para o diagnóstico da cefaleia tensional. O neurologista avaliará:

  • Características e frequência dos episódios de dor de cabeça
  • Tratamentos prévios e automedicação com analgésicos sem receita
  • Estilo de vida na época do aparecimento dos sintomas
  • Palpação dos músculos da cabeça, pescoço e dorso tocando e pressionando para verificar a sensibilidade local
  • Avaliação da articulação temporomandibular (ATM) para avaliar disfunção ou sensibilidade. Essa etapa é especialmente importante em pacientes que apresentam bruxismo.
  • História de massagens terapêuticas para o auto-tratamento que aliviaram parcialmente os sintomas.
  • O exame físico também pode ser usado para descartar causas secundárias de dor de cabeça.

Muitas pessoas com cefaleia tensional não procuram um neurologista e se automedicam. Os pacientes se tornam “viciados” em medicamentos e as dores, mais graves e frequentes. Nessa situação, o paciente adquire um segundo tipo de dor de cabeça, resultado do uso excessivo de analgésico chamada “Cefaleia por abuso de analgésicos”.

É importante consultar sobre as dores de cabeça o mais rápido possível. Abuso de analgésicos é uma realidade comum e essas dores são mais difíceis de tratar.

Cefaléia Tensional

Tratamento da Cefaleia Tensional

Conforme dissemos anteriormente, a cefaleia tensional é uma condição comum. Os principais objetivos do tratamento são:

  1. Identificar possíveis fatores associados a dor
  2. Reduzir os sintomas
  3. Evitar que a dor se cronifique

O seu médico sempre investigará e tratará fatores como:

  • Estresse
  • Ansiedade
  • Depressão
  • Problemas de sono
  • Maus hábitos de vida
  • Alimentação
  • Bruxismo

Os medicamentos utilizados atuam em duas frentes: Um grupo para evitar que a dor apareça (medicamentos preventivos) e outro para aliviar a dor assim que ela se inicia (terapia analgésica). Os resultados são melhores quando usamos a combinação dessas terapias.

Como aliviar a Cefaleia Tensional?

Para aliviar a dor de cabeça você precisará ter alguns cuidados básicos com você mesmo:

  • Tranquilidade - As dores de cabeça por tensão resultam em parte do aperto, tensão dos músculos do couro cabeludo, geralmente devido ao estresse. Reduzir o estresse de trabalho, praticar terapia de relaxamento, aulas de meditação e manter uma rotina de exercício regular são recomendações que podem ajudar.
  • Acupuntura ou Yoga - Pode ser benéfica em pacientes com dor de cabeça do tipo de tensão, principalmente para evitar ou diminuir o número de episódios de dor.
  • Cuidados com o sono - Horário para dormir e acordar. Evite sonecas durante o dia ou qualquer coisa que possa interferir no seu sono. É possível que seu neurologista investigue o seu sono ao mesmo tempo que investiga sua dor
  • Tratamento de Depressão e Ansiedade - A dor de cabeça melhorará a medida que seus sintomas depressivos e ansiosos também melhorarem. O acompanhamento psicológico e antidepressivos são importantes no seu tratamento.
  • Alimentação saudável - Algumas práticas alimentares também podem ser eficazes no tratamento da dor de cabeça. Saiba mais em nosso artigo: Alimentação e Dieta no Tratamento da Enxaqueca.

Quando este tratamento não for bem-sucedido, seu médico poderá solicitar que você retorne ao consultório para investigações de outras causas associadas.

Tratamento Preventivo

A prevenção da cefaleia tensional é uma forma de evitar o abuso dos analgésicos e que a dor se torne crônica.

Medicamentos profiláticos (preventivos) são prescritos para dores com frequência 2 a 15 por mês. Deve-se tomar pelo menos 3-6 meses de profilaxia. Enquanto estiver tomando remédio profilático, é importante anotar a frequência, duração e intensidade da dor.

A profilaxia reduzirá a frequência e / ou intensidade das dores de cabeça e necessidade de medicamentos para tratar crises agudas.

Os medicamentos profiláticos serão gradualmente retirados após 6 meses, mas poderão ser restabelecidos caso as dores retornem.

Especialista em Dor de Cabeça Dr Diego de Castro Neurologista

Dr Diego de Castro tem como objetivo ajudar seus pacientes que apresentam algum tipo de dor crônica a melhorar sua função, minimizar sua necessidade de medicamentos e alcançar uma melhor qualidade de vida.

Entendemos que a dor de cada paciente é única. Por isso, abordamos planos de tratamento individualizados, porém abrangentes de gerenciamento da dor.

Para agendar uma consulta ou saber mais sobre os serviços de diagnóstico e tratamento da dor, veja abaixo nossas informações de contato:

R. Itapeva, 518 - sala 901 - Bela Vista, São Paulo - SP, 01332-904

Telefones: (11) 3262-4745 e (11) 98758-7663

Dr Diego de Castro - Neurologista Especialista em Dor de Cabeça em Vitória ES

No Espírito Santo, Dr Diego de Castro Neurologista Especialista também oferece um atendimento especializado às pessoas com cefaleia tensional e outras dores de cabeça, no Serviço de Especialidades Neurológicas, em Vitória, na Enseada do Suá, próximo ao Shopping Vitória.

Avenida Americo Buaiz, 501 – Victória Office Tower – Torre Leste – Enseada do Suá, Vitória – ES, 29050-911

Telefone: (27) 99707-3433

Posts Relacionados:


Compartilhe

Posts mais Populares

Assine nossa Newsletter!

Assine nossa newsletter e receba em seu e-mail todos os nossos novos artigos.

Dr Diego de Castro dos Santos
Dr Diego de Castro Neurologista
Dr Diego de Castro dos Santos é Neurologista pela USP e responsável pelo Serviço de Especialidades Neurológicas – Eletroneuromiografia. Atua como neurologista em Vitória Espírito Santo ES e em São Paulo no tratamento de Dor de Cabeça, Depressão, Doença de Parkinson, Miastenia gravis e outras doenças. Também se dedica a reabilitação de pacientes com AVC, distonias e crianças com paralisia cerebral, por meio de aplicação de toxina botulínica (Botox) e neuromodulação.
Dúvidas? Sugestões?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

DR DIEGO DE CASTRO

Dr. Diego de Castro dos Santos
Neurofisiologia clínica - RQE 74154
Neurologia - RQE 74153
Diretor Clínico Autor e Responsável Técnico pelo Site – Mantenedor.

Missão do Site: Prover Soluções cada vez mais completas de forma facilitada para a gestão da saúde e o bem-estar das pessoas, com excelência, humanidade e sustentabilidade. Destinado ao público em geral.
NEUROLOGISTA EM SÃO PAULO – SP
CRM-SP 160074

R. Itapeva, 518 - sala 901
Bela Vista - São Paulo - SP 
CEP: 01332-904

Telefones:
(11) 3262-4745
(11) 98758-7663

NEUROLOGISTA VITÓRIA – ES
CRM-ES 11.111

Av. Américo Buaiz, 501 – Sala 109
Ed. Victória Office Tower Leste, Enseada do Suá, Vitória – ES, CEP: 29050-911

Telefones:
(27) 99707-3433
(27) 99886-7489

magnifier linkedin facebook pinterest youtube rss twitter instagram facebook-blank rss-blank linkedin-blank pinterest youtube twitter instagram