Dor de Cabeça – Causas e Formas de Prevenção

/, Neuroestimulação, Neurologia/Dor de Cabeça – Causas e Formas de Prevenção

Dor de Cabeça – Causas e Formas de Prevenção

Compartilhe

Dor de cabeça ou cefaleia é uma das queixas neurológicas mais comuns e uma das causas mais frequentes de afastamento do trabalho em pessoas na faixa etária produtiva (20-55 anos).

Segundo a International Headache Society, órgão internacional responsável pelo estudo e classificação das cefaleias, existem mais de 150 tipos de dores de cabeça. Essa imensa variedade clínica demonstra a importância de uma avaliação neurológica minuciosa para um diagnóstico e tratamento preciso.

Dor de Cabeça – Causas e Formas de Prevenção

Em linhas gerais, as dores de cabeça podem ser divididas em “cefaleias primárias” e “cefaleias secundárias”. As cefaleia secundárias representam doenças em que a dor de cabeça é na verdade um sintoma e tem sua origem em alterações estruturais como sinusopatias, aneurismas, tumores, hidrocefalia etc.

Já as cefaleias primárias são um grupo de distúrbios em que a dor de cabeça não é um sintoma, e sim a própria doença. As cefaleias primárias são a causa mais comum de dores de cabeça. Neste grupo estão: A enxaqueca, a cefaleia tensional e a cefaleia em salvas.

Cefaleias Primárias

Cada uma das cefaleias cefaleias primárias possui características, intensidades e sintomas diferentes.

Enxaqueca

No caso da enxaqueca, a dor aparece gradativamente, em um dos lados e alguns pacientes relatam a sensação de “a cabeça latejar ou pulsar”.

A dor tende a ficar mais forte com o passar das horas, até cessar no fim da crise entre 4 e 72 horas. A dor pode ser acompanhada ou precedida de náuseas, tontura, vômitos, incômodo pela luz e ruídos fortes. Sintomas como dormências, formigamentos, vertigem, alterações visuais como pontos brilhantes e até perda parcial do campo visual são comuns.

Com frequência, os indivíduos com enxaqueca sentem-se irritados, cansados e esgotados durante e após a crise, preferindo se recluir em lugares escuros, com melhora parcial após sono ou cochilo.

Cefaleia Tensional

No caso da cefaleia tipo tensão, os sintomas podem ser: pressão em ambos os lados da cabeça ou pescoço, dor leve ou moderada sem a presença de latejamento, ou piora em relação a atividades físicas, podendo apresentar aumento da sensibilidade nos músculos da cabeça e pescoço.

Cefaleia em Salvas

Dor de cabeça em salvas é um tipo de cefaleia primária menos frequente. É unilateral e começa geralmente em torno dos olhos, com duração de 30 minutos a 3 horas. Começa rapidamente atingindo um crescimento em poucos minutos, tornando-a profunda e contínua. Pode vir acompanhada de nariz entupido e escorrendo, vermelhidão e olhos caídos, palidez, suor excessivo, déficits neurológicos e sensibilidade ao álcool.

Cefaleia Crônica Diária

Algumas pessoas que inicialmente apresentam enxaqueca ou cefaleia tensional podem desenvolver a chamada cefaleia crônica diária. É uma dor de cabeça que tende a ser quase contínua, persistente e diária. Ela persiste por mais de 15 dias por mês, por pelo menos três meses. Este tipo de dor crônica pode ter diversas causas, como o uso inadequado e excessivo de medicamentos, depressão, transtorno do estresse e distúrbios do sono.

Cefaleias Secundárias

Conforme mencionado, existem as chamadas “cefaleias secundárias”. Neste grupo podemos citar como exemplo as dores de cabeça pós-trauma e a cefaleia associada a transtornos do seios nasais.

Dores de cabeça pós traumáticas podem ocorrer dentro de um a dois dias após a lesão, na maioria dos casos são relatados desconfortos constantes e dolorosos que pioram de forma intermitente, podendo incluir vertigens, tonturas, dificuldade de concentração, problemas de memória, cansaço e irritabilidade.  

A cefaleia sinusal é provocada por infecções sinusais, porém não são muito comuns, já que, na maioria das vezes pessoas diagnosticadas com sinusite na verdade sofrem de enxaqueca.

Dor de Cabeça – Diagnóstico

Geralmente os médicos usam da descrição do paciente em relação à dor para pedir uma combinação de exames que podem determinar o tipo de dor de cabeça, descobrindo posteriormente que pode haver até mais de uma causa  para a dor.

A maioria das pessoas não precisa de raios X ou exames de imagem, como a tomografia computadorizada, que serve de auxílio quando se nota sintomas incomuns.

Dor de Cabeça Pode Ser Sinal de Alerta

Quando a dor de cabeça acontece de repente, podendo ser descrita como “a pior dor de cabeça da sua vida”, seguindo com febre e rigidez no pescoço, alteração de personalidade, confusão mental, desmaios ou mesmo convulsões, é necessário procurar atendimento médico de urgência.

Já nos casos de dor de cabeça crônica, buscar ajuda do médico neurologista é essencial, pois ele poderá investigar as causas para este sintoma e iniciar o tratamento adequado.

Tratamento da Dor de Cabeça

Existem dois pontos para o tratamento das dores de cabeça: o tratamento agudo, que é feito por meio de medicamentos que o paciente utiliza durante as crises para o alívio da dor, e o tratamento preventivo, que refere-se a medicamentos tomados regularmente, para evitar a dor futura.

Somente o médico poderá receitar o melhor tratamento para cada tipo de dor de cabeça.

Também são indispensáveis os tratamentos complementares, como dieta adequada, terapia comportamental, higiene do sono, mudança no estilo de vida, acompanhamento psicológico em portadores de depressão e ansiedade, fisioterapia, acupuntura, técnicas de massagem e relaxamento, uso de vitaminas e suplementos alimentares.

Casos mais graves e com dor mais prolongada podem se beneficiar de toxina botulínica, bloqueio anestésico e técnicas de neuromodulação.

Caso você seja vítima de cefaleia e precise de um neurologista, estamos a disposição para uma avaliação. O diagnóstico adequado é a possibilidade para o melhor tratamento do seu caso.


Compartilhe
2018-08-01T15:00:48+00:00 sexta-feira 3 de agosto 2018|Dor de Cabeça, Neuroestimulação, Neurologia|0 Comentários

Dúvidas e ou Sugestões?

Informações de Contato

Av Ibirapuera 2907, Conjunto 1618 Moema, São Paulo/ BR CEP 04029-200

Phone: 11 3522-9515

Web: Dr Diego de Castro