São Paulo: (11) 3504-4304 | Vitória: (27) 99707-3433 - (27) 99886-7489

O que Pode Causar Espasmos Musculares?

Dr Diego de Castro
25/05/2022
Compartilhe

Segundo a Mayo Clinic, Espasmos Musculares são contrações repentinas e involuntárias de um ou mais músculos. Embora geralmente inofensivos, podem ser condições dolorosas, resultando em uma incapacidade de usar o músculo afetado por um curto período de tempo.

Neste artigo, Dr Diego de Castro, Neurologista e Neurofisiologista pela USP, explica sobre os Espasmos Musculares, suas características, causas e sintomas associados.

O que é um Espasmo Muscular?

O NHS explica que, como um dos mecanismos naturais de resposta protetora do corpo, um espasmo muscular é uma contração involuntária e sustentada das fibras musculares em resposta a lesões, inflamações ou excesso de estímulos, seja nos próprios músculos ou nos nervos que os servem.

Espasmos podem acontecer em qualquer grupo muscular, desde os pequenos músculos (como as contrações da pálpebra) até músculos maiores, como aquela cãibra na perna quando flexionamos da maneira errada. Entretanto, os grupos musculares mais afetados são:

  • Parte de trás da perna/panturrilha inferior (gastrocnêmio)
  • Parte de trás da coxa (isquiotibiais)
  • Frente da coxa (quadríceps).

Cãibras nos pés, mãos, braços, abdômen e ao longo da caixa torácica também podem acontecer.

A experiência de um espasmo muscular pode variar de pequeno desconforto com rigidez a uma dor súbita, apertada e intensa, que pode impedir a função muscular normal.

Durante um espasmo, também pode haver nós musculares visíveis no músculo afetado quando ele contrai. E a região também pode se tornar sensível ao toque. Espasmos são involuntários e podem durar de segundos a minutos.

O que Pode Causar Espasmos Musculares?

Conforme a American Academy of Orthopaedic Surgeons, existem diversos fatores que podem causar um espasmo muscular. A maioria dessas causas não são graves, embora possam exigir alguma ação para evitar que elas aconteçam novamente. Alguns dos fatores que podem levar a um espasmo muscular incluem:

Alongamento Inadequado e Fadiga Muscular

Espasmos devido à tensão muscular ou uso excessivo são tipicamente experimentados ao manter uma determinada posição por muito tempo ou se exercitar sem alongar os músculos.

Da mesma forma, exercícios extenuantes podem causar tensão muscular e levar a uma demanda crescente de fluxo sanguíneo para os músculos. Se o corpo não pode atender às demandas das células musculares, espasmos musculares podem resultar.

Falta de Minerais e Eletrólitos

O tecido muscular depende, em parte, de uma variedade de minerais, eletrólitos e outros produtos químicos para contrair e relaxar. Algumas dessas substâncias importantes incluem:

  • Cálcio
  • Magnésio
  • Potássio
  • Sódio.

Dieta inadequada, desidratação, vômito e diarreia são apenas alguns dos fatores que podem perturbar o equilíbrio de minerais e eletrólitos em nosso corpo e tornar os músculos mais suscetíveis a espasmos.

Suprimento Inadequado de Sangue

Segundo a Cleveland Clinic, o estreitamento das artérias que fornecem sangue para as pernas (arteriosclerose das extremidades) pode produzir dor e cãibra nas pernas e pés durante a prática de exercícios. Esses espasmos geralmente desaparecem ao encerrar a sessão de exercícios.

Compressão Nervosa

A compressão das raízes nervosas na coluna vertebral também pode produzir espasmos musculares nas pernas, acompanhados de dor, geralmente piorando ao caminhar.

Representação das Fibras Musculares
Representação das Fibras Musculares

Pessoas com Maior Risco de Ter Espasmos Musculares

Qualquer pessoa pode ter espasmos musculares em um momento da vida. Os riscos diferem dependendo do histórico médico da pessoa, sua ocupação profissional e nível de atividade física. Exemplos incluem o seguinte:

  • Trabalhadores da construção civil e que trabalham em ambientes quentes correm o risco de ficar desidratados e desenvolver espasmos devido ao calor. Essa mesma situação pode ocorrer em atletas, tanto aqueles envolvidos em competições quanto os amadores.
  • Em pacientes com doença arterial periférica ou arteriosclerose, condições que causam o estreitamento das artérias, o fluxo sanguíneo para as extremidades (por exemplo, os braços e pernas) pode ser comprometido, levando à privação de oxigênio e nutrientes. E isso pode causar espasmos musculares.
  • Pacientes que têm distúrbios neurológicos, como esclerose lateral amiotrófica, esclerose múltipla ou lesão medular, estão em risco de desenvolver espasmos musculares.

Sinais e Sintomas de Espasmos Musculares

Conforme a National Library of Medicine, os sinais e sintomas de espasmo muscular dependem do músculo envolvido e das circunstâncias que levaram ao espasmo.

Espasmos na Musculatura Esquelética

O espasmo que ocorre em músculos esqueléticos geralmente acontece quando estes estão sendo solicitados a trabalhar de forma excessiva.

Neste caso, há um aparecimento agudo de dor à medida que o músculo se contrai. O músculo rígido pode ser visto ou sentido sob a pele. Normalmente, esticar o músculo envolvido pode ajudar a aliviar o espasmo.

Fasciculação Muscular

Uma fasciculação muscular é uma contração repetitiva momentânea de apenas algumas fibras em um músculo maior, geralmente estimulado por uma fibra nervosa.

Esse tipo de espasmo, geralmente, acontece na pálpebra, panturrilha, coxa ou polegar. As fasciculações muitas vezes vêm e vão e podem estar relacionadas ao estresse, ansiedade ou ingestão de estimulantes como:

  • Cafeína
  • Medicamentos contendo pseudoefedrina ou fenilefrina
  • Medicamentos como albuterol, utilizados no tratamento de asma
  • Medicamentos utilizados para tratar TDAH.

Essas contrações são consideradas inofensivas e são referidas como fasciculações benignas.

Espasmos Musculares Associados a Condições Neurológicas

Segundo a MS Society, a contração muscular também pode estar associada a distúrbios neurológicos, como:

  • Distrofia muscular
  • Esclerose lateral amiotrófica
  • Miopatia (doença muscular primária).

Com essas doenças, outros sintomas podem estar associados aos espasmos musculares. Entre eles, podem citar:

  • Dor nas costas, pescoço ou cabeça
  • Fraqueza nos músculos
  • Dormência da pele
  • Sensação de pontadas
  • Tremor
  • Paralisia
  • Dificuldade de coordenação
  • Lentidão de movimentos
  • Visão dupla
  • Distúrbios do sono.

Nem todos os espasmos musculares são dolorosos, mas alguns podem causar dor. Algumas pessoas podem sentir como se o músculo estivesse pulando por alguns segundos. Outras pessoas, entretanto, podem até ser capazes de ver o músculo se contraindo, com rigidez em toda a região afetada, de forma a impossibilitar o movimento. Esse efeito geralmente acontece nas pernas, e pode ser bastante doloroso.

Continue acompanhando nosso blog! No próximo artigo, vamos explicar sobre diagnóstico e tratamento dos espasmos musculares.

Dr Diego de Castro Neurologista Especialista em Transtornos do Movimento

Dr Diego de Castro é Neurologista e Neurofisiologista pela USP especialista em Doença de Parkinson e Distúrbios do Movimento. Dr Diego de Castro também é membro da Academia Brasileira de Neurologia (ABN) e da Sociedade Brasileira de Neurofisiologia Clínica (SBNC).

Compartilhe este artigo! Siga-nos nas redes sociais.

Leia outros artigos sobre este tema:

Estamos disponíveis para cuidar de você nos endereços:

Avenida Américo Buaiz, 501 – Ed. Victória Office Tower Leste, Sala 109 - Enseada do Suá, Vitória - ES, 29050-911

Tel: (27) 99707-3433

R. Itapeva, 518 - sala 901 Bela Vista - São Paulo - SP, CEP: 01332-904

Telefones: (11) 3504-4304 e (11) 98758-7663

Posts Relacionados:

Compartilhe
Posts mais Populares
Acompanhe nosso Podcast!
Escute nossos conteúdos em áudio, na sua plataforma preferida:
Assine nossa Newsletter!

Assine nossa newsletter e receba em seu e-mail todos os nossos novos artigos.

Dr Diego de Castro dos Santos
Neurologia - Dr Diego de Castro
Dr Diego de Castro dos Santos é Neurologista pela USP e responsável pelo Serviço de Especialidades Neurológicas – Eletroneuromiografia. Atua como neurologista em Vitória Espírito Santo ES e em São Paulo no tratamento de Dor de Cabeça, Depressão, Doença de Parkinson, Miastenia gravis e outras doenças. Também se dedica a reabilitação de pacientes com AVC, distonias e crianças com paralisia cerebral, por meio de aplicação de toxina botulínica (Botox) e neuromodulação.
Dúvidas? Sugestões?

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

DR DIEGO DE CASTRO

Dr. Diego de Castro dos Santos
Neurofisiologia clínica - RQE 74154
Neurologia - RQE 74153
Diretor Clínico Autor e Responsável Técnico pelo Site – Mantenedor.

Missão do Site: Prover Soluções cada vez mais completas de forma facilitada para a gestão da saúde e o bem-estar das pessoas, com excelência, humanidade e sustentabilidade. Destinado ao público em geral.
NEUROLOGISTA EM SÃO PAULO – SP
CRM-SP 160074

R. Itapeva, 518 - sala 901
Bela Vista - São Paulo - SP 
CEP: 01332-904

Telefones:
(11) 3504-4304
(11) 98758-7663

NEUROLOGISTA VITÓRIA – ES
CRM-ES 11.111

Av. Américo Buaiz, 501 – Sala 109
Ed. Victória Office Tower Leste, Enseada do Suá, Vitória – ES, CEP: 29050-911

Telefones:
(27) 99707-3433
(27) 99886-7489

Utilizamos ferramentas e serviços de terceiros que utilizam cookies. Ao continuar navegando em nosso site, você concorda com o uso de cookies. Leia nossa política de privacidade/cookies para saber mais informações.
magnifier
× Como posso ajudar?
linkedin facebook pinterest youtube rss twitter instagram facebook-blank rss-blank linkedin-blank pinterest youtube twitter instagram