Conheça a Influência da Alimentação na Dor de Cabeça

/, Enxaqueca, Neurologia/Conheça a Influência da Alimentação na Dor de Cabeça

Conheça a Influência da Alimentação na Dor de Cabeça

Compartilhe

É bem conhecido que alimentos podem desencadear crises de enxaqueca em alguns pacientes. O início, a frequência, a duração e a gravidade dos ataques de enxaqueca podem ser afetados por fatores predisponentes, incluindo o que comemos. Cerca de 30% dos pacientes com enxaqueca têm crises de dor de cabeça associada a alimentação.

Considerando a importância da nutrição na manutenção e promoção da saúde e na prevenção de doenças, elaboramos este artigo para lhe explicar a relação entre dores de cabeça e hábitos alimentares e como utilizar a influência da alimentação na dor de cabeça a seu favor.

A Alimentação na Dor de Cabeça

O conceito de que os alimentos podem desencadear alguns sintomas cria uma pressão crescente no sistema de saúde para investigar possíveis relações causais entre a ingestão de alimentos e doenças específicas.

No caso da enxaqueca, parece evidente que a comida não é a causa a doença. No entanto alguns alimentos são capazes de induzir ou agravar os ataques de enxaqueca. Em alguns indivíduos, o consumo de chocolate ou vinho tinto é suficiente para provocar uma crise, enquanto em outros é necessária uma combinação de alimentos, mesmo que estes nunca tenham sido relacionados à enxaqueca para outros pacientes.

Portanto, reconhecer o tipo de alimento que pode ser o gatilho para a dor de cabeça pode ser útil na prevenção dessas crises. Veja a seguir algumas recomendações:

A Alimentação na Dor de Cabeça – Conheça suas Sensibilidades Alimentares

Pessoas com enxaqueca variam em sua sensibilidade a alimentos específicos. As reações aos alimentos podem levar de meia hora a 72 horas para se desenvolver, o que dificulta identificar qual alimento causou a reação. Por essa razão, recomenda-se que você mantenha um diário alimentar, com colunas de tempo, alimento, quantidade ingerida e sintomas apresentados.

Todo indivíduo é único, mas há categorias de alimentos que são mais propensos a desencadear uma crise de enxaqueca do que outros. Veja a seguir alguns dos principais desencadeantes:

Cafeína e Compostos Estimulantes

A cafeína é um estimulante que pode alterar a eficácia de muitos medicamentos para tratamento da enxaqueca. Por essa razão, a ingestão de cafeína deve ser limitada a no máximo 2-3 xícaras de café por dia. O chocolate também contém cafeína e outras substâncias químicas que imitam os efeitos da cafeína e é um alimento conhecido por desencadear enxaqueca.

Parar a ingestão de cafeína abruptamente pode causar dores de cabeça por abstinência de cafeína. Em alguns indivíduos, uma dor de cabeça matinal pode ser causada por dormir até mais tarde do que no horário habitual, melhorando com uma xícara de café. Assim uma atenção especial deve ser dada ao café: Seu excesso é um grande desencadeador de dor cabeça e a rápida interrupção de seu consumo também. Idealmente, prefira ingerir pequena quantidade de café de manhã e evite seu uso nos demais períodos do dia, principalmente após as 17h.

Temperaturas Alimentares

Consumir alimentos extremamente quentes ou frios pode desencadear a enxaqueca em alguns indivíduos. Os alimentos gelados como sorvetes ou mesmo o gelo de uma bebida são os alimentos mais frequentemente relatados.

Sensibilidade à Tiramina

A tiramina é subproduto natural da degradação de proteínas. Como é uma substância que ocorre naturalmente e não é adicionada aos alimentos, a tiramina não está listada nos rótulos dos alimentos.

Os alimentos ricos em tiramina geralmente são os ricos em proteínas que não foram armazenados adequadamente. Os queijos, principalmente os mais amarelados, são alimentos ricos em tiramina e portanto também devem ser evitados.

Álcool

Algumas pessoas têm dor de cabeça por consumir qualquer bebida alcoólica. Outros reagem principalmente ao vinho tinto, devido a uma sensibilidade aos produtos químicos no vinho tinto, e não ao álcool.

Frutas cítricas

Alguns pacientes com enxaqueca podem apresentar sensibilidade a alimentos ácidos principalmente as frutas cítricas como laranja e limão. Identifique se você apresenta dor de cabeça ou mal estar após consumo desses alimentos.

Atenção aos condimentos, nitratos, corantes e adoçantes

Talvez de todos os fatores que desencadeiam dor de cabeça o consumo de alimentos industrializados são os grandes inimigos dos pacientes com enxaqueca. Isso porque eles estão presentes em uma grande variabilidade de alimentos e podem passar despercebidos.

Os condimentos e nitratos são usados para dar o gosto salgado e preservar o alimento por mais tempo. Essas substâncias estão presentes no bacon, presunto, salames, salsicha, alimentos enlatados, temperos prontos e molhos (ketchup, mostarda) e nos biscoitos do tipo “chips”. Os corantes estão presentes nos refrigerantes e sucos industrializados e junto com os adoçantes podem enganar os pacientes com a idéia de “alimento light”. Todos esses alimentos estão presentes em muitas dietas de brasileiros e são conhecidamente culpados como deflagradores de dor de cabeça.

alimentacao-dor-de-cabeca

Você está lendo: Conheça a Influência da Alimentação na Dor de Cabeça

Alimentação na Dor de Cabeça –  Os Alimentos que Ajudam no Tratamento da Dor de Cabeça

A superprodução de compostos inflamatórios no organismo pode desempenhar um papel na dor crônica. Por este motivo, alguns estudos recomendam uma dieta anti-inflamatória para alívio da dor de cabeça. Uma dieta baseada em alimentos anti-inflamatórios é uma abordagem importante para tratamento das dores de cabeça.

Um exemplo disso é aumentar a ingestão de nutrientes anti-inflamatórios, como consumir ômega-3, e reduzir a ingestão de outras gorduras. O ômega-3 pode auxiliar a reduzir a frequência e / ou gravidade das dores de cabeça quando consumido por mais de 8-12 semanas.

Traduzido em escolhas alimentares, isso significaria comer mais abacate, nozes, azeite e peixe e reduzir a ingestão de milho, soja e óleos vegetais e alimentos processados.

O consumo de alimentos com vitaminas do complexo B é um fator protetor de dor de cabeça. A vitamina B2 e B6 são as principais vitaminas que atuam na prevenção da dor de cabeça. Consuma frutas, castanhas e folhas verdes diariamente pois esses alimentos são benéficos para você.

Uma atenção especial deve ser dada para os iogurtes naturais. Os iogurtes naturais e o leite fermentado contém lactobacillus. Esse grupo de bactérias vive no intestino humano e pesquisas recentes apontam que essas bactérias produzem substâncias anti inflamatórias que auxiliam os pacientes com dores de múltiplas causas, incluindo dor de cabeça. Além dos iogurtes outros alimentos que contém bactérias como o Kefir podem ser acrescentados na sua dieta.

O gengibre é um importante aliado de quem tem enxaqueca. Um chá de gengibre pode inclusive abortar uma crise leve de enxaqueca. Introduza esse alimento na sua dieta substituindo por exemplo o café da tarde ou o chá preto.

Comer alimentos ricos em fibra ajuda a evitar altos e baixos de açúcar no sangue – um importante fator desencadeante na maioria dos pacientes, e ainda traz outros benefícios importantes para a saúde.

alimentacao-enxaqueca

Alimentação na Dor de Cabeça – Como Alimentar-se para Evitar a Dor de Cabeça

Os gatilhos dietéticos mais importantes são o jejum e a desidratação. Esses 2 fatores são mais relevantes do que os próprios alimentos. Pular ou atrasar refeições gera uma queda relativa no nível de açúcar no sangue, desencadeando a crise de enxaqueca.

Muitas pessoas com enxaqueca sentem grande melhora nas crises, ao comer pequenos lanches a cada poucas horas durante o dia para evitar os altos e baixos no nível de açúcar no sangue.

Beba muita água, em média 2 litros por dia, para manter-se bem hidratado. Inclusive, a ingesta de líquido no início de uma crise de dor de cabeça pode ajudar a abortar a crise.

Pessoas com enxaqueca devem evitar dietas “da moda” que dependem de combinações de alimentos não naturais, por exemplo, zero carboidratos ou ingestão de pouquíssima quantidade de alimentos.

Não corte de sua dieta as coisas que você gosta. Aprenda a cozinhar. Isso garantirá que você esteja se alimentando de uma maneira natural e realmente saudável.

O tratamento da cefaleia requer uma combinação de tratamentos médicos e abordagens não farmacológicas, incluindo dietas saudáveis, sono adequado, tratamento da depressão e ansiedade, atividade física e identificação dos fatores desencadeantes.

Deixamos aqui um resumo deste artigo, com as orientações mais importantes referentes à alimentação na dor de cabeça:

  • Não fique em jejum. Alimente-se regularmente.
  • Mantenha-se sempre bem hidratado (pelo menos 2L de água).
  • Aprenda a cozinhar para não comer alimentos industrializados.
  • Evite bebidas alcoólicas.
  • Cuidado com o consumo excessivo de café e chocolate.
  • Não coma queijos amarelos, prefira os queijos frescos.
  • Evite consumir embutidos, enlatados e comidas condimentadas.
  • Fuja de fast-foods, chips, refrigerantes e sucos não naturais.
  • Coma iogurtes naturais e outros probióticos (como Kefir).
  • Acrescente alimentos ricos em ômega-3 na sua dieta.
  • Lembre-se que a vitamina B2 e B6 são aliadas para prevenir o surgimento de crises de dor de cabeça.
  • Alimentos ricos em fibras ajudam a manter os níveis de glicose no sangue estáveis e por isso previnem a dor de cabeça.
  • O chá de gengibre pode te auxiliar quando você está iniciando uma crise de dor de cabeça.

Compartilhe
2018-12-21T16:48:35+00:00 quarta-feira 2 de janeiro 2019|Dor de Cabeça, Enxaqueca, Neurologia|0 Comentários

Dúvidas e ou Sugestões?

Informações de Contato

Av Ibirapuera 2907, Conjunto 1618 Moema, São Paulo/ BR CEP 04029-200

Phone: 11 3522-9515

Web: Dr Diego de Castro